Nelson de Sá

Toda Mídia

 

MEC antecipa resultados do Sisu

Escalada do "Jornal Nacional":

Efeito colateral do aumento do salário mínimo: milhões de brasileiros terão redução do salário família. A polícia paulista prende suspeitos de fornecer drogas a viciados da cracolândia e apreende quase 20 mil pedras de crack. O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo liga a explosão de um fórum à disputa de guarda de uma criança. Nossos repórteres voltam à região serrana do Rio e encontram personagens marcantes da tragédia que deixou mais de 900 mortos há um ano. O Ministério da Educação antecipa os resultados do Sisu. Cientistas descobrem hormônio responsável pelo bem-estar provocado por exercícios físicos. Pacientes testam tratamentos experimentais contra o câncer em hospital de São Paulo. Como estão os gêmeos prematuros que sofreram com a falta de leitos de UTI neonatal no Tocantins. 

E do "Jornal da Record":

Armados para a guerra: moradores impedem a reintegração de posse de um terreno no interior de São Paulo. Falsa protetora: mulher que cuidava de animais abandonados é acusada de matar cães e gatos. No colo, um bebê; no carro, 16 mil pedras de crack: assim a traficante abastecia a cracolândia paulista. A prova do crime: escutas comprovam ligação de comandante da PM com traficantes do Rio. Juíza alvo de carta-bomba vai ter escolta policial. Cratera gigante ameaça famílias no interior de Minas. O sabor, o ritmo e as cores que fizeram do Nordeste um produto de exportação. 

Mais "SBT Brasil" e "Jornal da Band".

Escrito por Nelson de Sá às 22h10

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A próxima guerra?

A cobertura do Consumer Electronics Show, esta semana em Las Vegas, se concentrou em "smart TV", com o "Washington Post" proclamando:

A próxima guerra de tecnologia é na sala de estar

O Google entrou antes, quase um ano atrás, mas agora Samsung, LG, Sony e Lenovo se juntam ao conflito, bem como empresas de "cloud". Depois dos smartphones e dos tablets, os aplicativos chegam à sala de estar em aparelhos que prometem maior simplicidade de acesso, inclusive de voz.

Ao fundo, aguarda-se o "televisor integrado" da Apple, que Steve Jobs prometeu em sua biografia autorizada. O "Wall Street Journal" trata hoje do assunto, sublinhando porém que "o maior desafio da Apple é assegurar conteúdo de vídeo". Netflix e Hulu abriram o caminho, mas o melhor conteúdo ainda está no cabo _e a negociação será "mais difícil" para a Apple do que com as gravadoras, que foram para a mesa já acuadas pela pirataria.

A próxima pode ser TV, mas a guerra neste momento opõe Google e redes sociais. Como informa o AllThingsD, o Facebook respondeu à vinculação das buscas do Google ao Google+ com uma defesa do Bing, da Microsoft.

Escrito por Nelson de Sá às 12h04

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Visto para os EUA salta, no Brasil e na China

O "China Daily" noticia que o Departamento de Estado processou 50% mais pedidos de visto para os EUA, de chineses e brasileiros, no início do ano fiscal de 2012 em relação a 2011. No Brasil, 280 mil foram processados pelos representantes diplomáticos, alta de 63%. Na China, 260 mil, alta de 48%.

O forte aumento resulta das iniciativas tomadas pelo Departamento de Estado para reduzir o tempo na China e no Brasil, duas das economias de crescimento no mundo. Na China, a espera de entrevista caiu para só dois dias. No Brasil, caiu para 15 no Rio e seis em Brasília. O crescimento é boa notícia para a economia dos EUA, diz o Departamento de Estado. 

No discurso de ontem sobre "o estado da cidade", via "Wall Street Journal", o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, destacou que "há incontáveis turistas que buscam vir à nossa cidade e descobrem ser dolorosamente difícil conseguir visto". Prometeu "trabalhar para tornar mais fácil, especialmente aos que vêm de mercados de crescimento como Índia, China e Brasil".

O "WSJ" informa que Coca e Pepsi "tentam tranquilizar temores por suco de laranja", dizendo que que o governo americano afirma que "o fungicida [nas compras do Brasil] está em níveis que não apresentam risco". Os EUA proíbem o carbendazim, mas Europa, Japão e Canadá permitem em níveis "muito maiores" do que os encontrados e o Brasil tende a seguir os padrões desses países, que importam mais. De um especialista americano:

O fato é que nós precisamos do suco brasileiro

Citando a venda de títulos soberanos e agora do Banco do Brasil, o "Financial Times" diz que, "se você tem que pôr seu dinheiro em algum lugar, pode muito bem ser em títulos brasileiros", que parecem ser "os ativos obrigatórios de 2012" (must-have). Avisa sobre "rumores de pelo menos mais quatro vendas de títulos soberanos planejadas para este ano".

Escrito por Nelson de Sá às 11h07

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lula lá, em hagiografia descarada

Com o título "O caminho de um herói trabalhista para liderar uma nação" e a foto acima, o "New York Times" publica hoje crítica de Stephen Holden sobre "Lula, Son of Brazil", que estreia nos EUA. Descreve como "uma hagiografia descarada que segue a ascensão da pobreza à proeminência nacional" e trata Lula "como um herói sem mácula da classe trabalhadora".

Diz ser um "drama convencional, bastante superficial", mas com "uma dureza e uma energia rude que carregam uma sensação visceral da vida dos pobres e da classe trabalhadora no Brasil, sem cair em pieguice". Elogia a "performance forte e anti-sentimental" de Rui Ricardo Diaz.

Mais por "New York Post", NPR, Hollywood Reporter etc.

PS 17h - Também Huffington Post e "Christian Science Monitor".

Escrito por Nelson de Sá às 10h25

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Esperança com inflação chinesa e títulos europeus

Edições: NYT/réplica/Nm/móvel, CD/Nm/móvel, WSJ/Nm/móvel e FT/réplica/móvel.
Sites:
NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h47

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Juízes de SP lideram movimentação em dinheiro vivo

Edições: FSP/réplica/Nm/móvel, VE/móvel, OG réplica/Nm/móvel e ESP réplica/Nm/móvel.
Sites: FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 09h27

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Google quer mais, mais, mais

O "Los Angeles Times" noticia que o Electronic Privacy Information Center "provavelmente vai entrar com reclamação na Federal Trade Comission dos EUA" contra o Google, pelo novo serviço que vincula suas buscas à sua própria rede social, o Google+. Segundo o Epic, o Google "está tentando vencer seu concorrente Facebook usando seu domínio do mercado num outro setor".

MC Siegler, do TechCrunch, site que se alia ao Google em outras frentes, como no combate à lei Sopa, também já questiona o "monopólio" de buscas.

Em outro sinal das mudanças em curso no Google, o "Wall Street Journal" informa que, dois anos após com estardalhaço da China, questionando a censura, a empresa agora "suaviza o tom" e "retoma o esforço para se expandir no maior mercado de internet do mundo", de modo "pragmático".

Escrito por Nelson de Sá às 12h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais do menor juro da história

O "Wall Street Journal" dá reportagem mostrando a "mudança na sorte" nos títulos de dívida, para países desenvolvidos e em desenvolvimento. A demanda dos investidores está "voando" e, com isso, o Brasil vendeu na semana passada pagando juro de 3,449%, "o menor da história" do país. Em contraste, a Itália está pagando 7% e a Espanha mais de 5%. De um fundo:

O que estamos vendo é uma reavaliação do risco de crédito soberano, cada vez mais baseado em fundamentos e menos em classificações. 

O "New York Times" reproduz despacho da Bloomberg, dizendo que os EUA "paralisaram" a importação de suco de laranja de todos os países, Brasil inclusive. E o "Wall Street Journal" noticia que a Coca-Cola, que empacota o suco Minute Maid, divulgou ter sido a empresa que disse à agência de alimentos (FDA) ter encontrado o fungicida carbendazim no suco brasileiro.

A Reuters acrescenta hoje que a FDA liberou o suco importado do Canadá, mas mantém Brasil e outros para testes. E a União Europeia vai se reunir para discutir o caso americano e pode também acelerar testes.

Escrito por Nelson de Sá às 10h45

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cerco ao Irã vai de assassinato a petróleo e China

Edições: NYT/réplica/Nm/móvel, CD/Nm/móvel, WSJ/Nm/móvel e FT/réplica/móvel.
Sites:
NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 10h12

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Acaba distinção de trabalho na empresa e à distância

Edições: FSP/réplica/Nm/móvel, VE/móvel, OG réplica/Nm/móvel e ESP réplica/Nm/móvel.
Sites: FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 09h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Violência contra aumento das passagens de ônibus

Escalada do "Jornal Nacional" de 11.1:

Passagens de ônibus ficam mais caras e Teresina e Vitória registram cenas de violência nas ruas. Quase três dias de buscas: bombeiros encontram corpos de mais cinco vítimas da chuva no Rio. Mulheres que tiveram próteses de silicone rompidas farão cirurgia de graça, com despesas pagas pelo SUS ou planos de saúde. Pesquisadores põem em dúvida a eficácia dos adesivos para fumantes. O uso de um pesticida ameaça a exportação de suco de laranja do Brasil para os EUA. A Espanha aumenta impostos e congela salários para enfrentar a crise econômica. Mitt Romney vence segunda prévia e ganha força para ser o candidato republicano nas eleições americanas. Herói do penta-campeonato diz adeus: o goleiro Marcos se despede do Palmeiras e dos gramados. 

E do "Jornal da Record":

Deu zebra: Anísio Abraão, chefão do bicho, é preso e vai para hospital penitenciário. 190: o pedido de socorro da mulher que teve a casa invadida por assaltantes. Tropeço na língua: ladrão de trator é descoberto porque não sabia inglês. Fúria estudantil: jovens queimam ônibus em protesto contra aumento de tarifa. No Rio de Janeiro, é encontrado o carro soterrado em deslizamento com cinco pessoas da mesma família dentro. Na reportagem especial, os novos tempos de uma cidade marcada pela seca. Macacos fogem de zoológico e invadem restaurante. Rumo a Londres: equipe de ginástica feminina garante classificação. 

Mais "SBT Brasil" e "Jornal da Band".

Escrito por Nelson de Sá às 01h12

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Google vai à guerra

O anúncio de que o Google passa a oferecer privilégio nas buscas à sua rede social, Google+, levou à reação do Twitter, dizendo que "é ruim para as pessoas, para as organizações de notícias e para os usuários do Twitter", reporta o AllThingsD. O "New York Times" ouve jurista que vai na mesma linha. O Facebook, também atingido, ainda não falou.

John Perry Barlow, da Electronic Frontier Foundation, usualmente um aliado do Google contra os produtores de conteúdo, desta vez reagiu, tuitando que "estamos nos tornando vítimas colaterais desamparadas na guerra entre o Google e o Facebook".

Escrito por Nelson de Sá às 12h11

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

China e Índia querem vender. EUA não quer comprar

Junto com a manchete sobre "declínio" nas trocas externas, o "China Daily" publica a análise "Mercados emergentes são chave para o comércio exterior" chinês. Sublinha o crescimento nos vínculos com Brasil, Rússia e África do Sul e ouve, de Jin Baisong, da Academia Chinesa de Comércio e Cooperação Econômica Internacional, que "os emergentes passam por industrialização e serão os alvos para o comércio exterior nos próximos anos".

E a "Índia mira US$ 50 bilhões de comércio com a América Latina", em 2014, segundo diplomata indiano ouvido pelo "Financial Times". Diz ele que "a Copa de 2014, a Olimpíada de 2016 e os US$ 270 bilhões de investimento em hidrocarbonetos pelo Brasil são os grandes projetos que oferecem oportunidades imperdíveis para as empresas indianas".

Mas o mesmo "FT" informa que, após outras medidas para conter importações baratas da China, o Brasil "investiga importação de celulares chineses". Segundo a Abinee, que representa a indústria local, "estão sendo vendidos abaixo do custo de produção".

Por outro lado, "Wall Street Journal" e "FT" destacam que o suco de laranja disparou ontem, com a notícia de que o órgão que regula alimentos nos EUA (FDA) divulgou que "empresa de suco contatou anonimamente a agência para relatar a presença do fungicida carbendazim nas importações do Brasil". O setor enfrenta pressão por causa do frio na Flórida, maior produtor local, e a notícia indicaria que o FDA "pode banir toda a importação do Brasil".

No "New York Times", o colunista Thomas Friedman escreve sobre o islamismo político em ascensão no Egito e ouve, do movimento salafista Al Nour, que seu "modelo econômico é o Brasil", nada de "modelo teocrático".

Escrito por Nelson de Sá às 10h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dama de ferro dos trópicos

Na capa do "Financial Times", "Dama de ferro dos trópicos" e, logo abaixo, "Rousseff, do Brasil, vai abraçar hubris ou reforma?". Em página inteira, a análise do correspondente Joe Leahy, abrindo com foto de Dilma sorridente ao lado da bandeira do Brasil, ressaltando a expressão "Progresso", tem por título "Um voador agora vai devagar" e, em destaque:

Após década de crescimento, a maior nação da América Latina entrou numa desaceleração que testará a astúcia de seus políticos e a resiliência da população que, mais uma vez, encara espectro da inflação.

Também na página, o editor de América Latina do "FT", John Paul Rathbone, escreve que, "Em meio a diplomacia pragmática, um lado de aço emerge".

Escrito por Nelson de Sá às 09h33

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Romney vence, enfraquecendo ataques

Edições: NYT/réplica/Nm/móvel, CD/Nm/móvel, WSJ/Nm/móvel e FT/réplica/móvel.
Sites:
NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h04

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil limita entrada de haitianos ilegais

Edições: FSP/réplica/Nm/móvel, VE/móvel, OG réplica/Nm/móvel e ESP réplica/Nm/móvel.
Sites: FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 08h45

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais cinco corpos de vítimas da chuva

Escalada do "Jornal Nacional":

O resgate no meio dos escombros: bombeiros vasculham a área atingida por um deslizamento de terra na divisa entre Rio e Minas Gerais e encontram mais cinco corpos de vítimas da chuva. Nossos repórteres testemunham o drama de quem perdeu suas casas. Prejuízos no campo: estiagem e temporais ameaçam a safra agrícola de 2012. O JN no Ar chega à Amazônia e mostra os primeiros passos dos haitianos que se amontoam na fronteira do Brasil. O governo anuncia medidas para dificultar a entrada de novos imigrantes do Haiti. A prisão em Curitiba do homem suspeito de fraudar bombas de combustível. O afastamento dos PMs acusados de agredir um aluno no campus da USP. A proibição de mais uma marca de próteses de silicone. Quem é o motorista descontrolado que levou terror às ruas de São Paulo. 

E do "Jornal da Record":

As águas de janeiro: no Rio, sobe para 13 o número de mortos em deslizamento de terra. Em Minas, moradores ilhados recebem alimentos por corda. No chão: o flagrante do desabamento de um prédio interditado. Ministério Público vai investigar atuação da Polícia Militar na cracolândia paulista. Decretada a prisão do homem que provocou pânico nas ruas de São Paulo. O bico do verão: ambulantes deixam o Nordeste atrás dos turistas do Sul. Nordeste verde: como foi possível transformar sertão em terra fértil. 

Mais "Jornal da Band".

Escrito por Nelson de Sá às 21h17

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

China importa mais do Brasil, mas não dos EUA

O "Wall Street Journal" destaca que o superavit comercial da China, de US$ 155 bilhões, caiu 14,5% em relação em 2010 e é o menor desde 2005:

Apesar do declínio geral, o superavit da China com os EUA aumentou para US$ 202 bilhões, contra US$ 181 bilhões em 2010. Analistas dizem que os EUA não se beneficiaram tanto quanto outros produtores de commodities, como Austrália e Brasil, das crescentes importações de matérias-primas pela China. Em 2011, a China registrou um deficit de US$ 20,5 bilhões com o Brasil e de US$ 48,8 bilhões com a Austrália.  

O estatal "China Daily" registra a queda no superavit de 2011, mas destaca que o comércio externo da China cresceu 22,5%. As exportações cresceram 20,3%; as importações, 24,9%:

Os dados mostram que o comércio da China com economias emergentes ultrapassou o crescimento médio, com seu comércio com Brasil, Rússia e África do Sul crescendo 34,5%, 42,7% e 76,7%.

Escrito por Nelson de Sá às 10h47

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O outro lado da polícia

Na home do "New York Times", "No Brasil, homens da lei, fora da lei". Relata o poder das mílicias do Rio, controlando 45% das favelas em 2010, contra 12% em 2005. Detalha a execução com 21 tiros da juíza Patrícia Acioli, diante do filho (na foto de Mauricio Lima), e práticas como tortura:

A imagem de uma cidade que se corrige foi minada pelas ações das mílicias compostas por policiais da ativa e aposentados, guardas prisionais e soldados. Funcionam como um ramo criminal do Estado. As milícias do Rio, junto com os esquadrões da morte da polícia de São Paulo, são responsáveis por centenas de assassinatos a cada ano e a impunidade continua sendo a norma, segundo a Human Rights Watch. 

Enquanto isso, no relato do G1, da Globo:

Uma comitiva de parlamentares americanos, entre eles o presidente da Câmara, John Boehner, visitou o Morro do Vidigal. O secretário José Mariano Beltrame e o comandante das UPPs, coronel Rogério Seabra, acompanharam o grupo, que conheceu a política de pacificação.

Escrito por Nelson de Sá às 09h55

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Escândalo cambial derruba presidente do BC suíço

Edições: NYT/réplica/móvel/Nm, CD/móvel/Nm, WSJ/móvel/Nm e FT/réplica/móvel.
Sites:
NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h16

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

PM aponta arma e agride aluno no DCE da USP

Edições: FSP/réplica/móvel/Nm, VE/móvel, OGréplica/móvel/Nm e ESPréplica/móvel/Nm.
Sites:
FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 08h39

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

18 mortos em deslizamentos no Rio e em Minas

Escalada do "Jornal Nacional":

A chuva no Rio de Janeiro e em Minas Gerais: 18 pessoas morrem em deslizamentos de terra nos dois Estados. O governo cria um força nacional contra desastres naturais. A fraude dos combustíveis: Justiça manda prender o homem que vende mecanismos acionados por controle remoto para enganar o consumidor. Ele foi denunciado pelo "Fantástico". Em Brasília (DF), o governo federal diz que vai apertar a fiscalização. Pânico no trânsito de São Paulo: um homem rouba carros, provoca acidentes e atira a esmo pela cidade. Padre expulso do Brasil pela ditadura recebe autorização para voltar a viver no país. O Irã condena à pena de morte americano acusado de espionagem. Os melhores do mundo no futebol: o argentino Lionel Messi leva o prêmio da Fifa pela terceira vez seguida. Neymar é escolhido pelo gol mais bonito. E você vai conhecer o novo destino do JN no Ar.  

E do "Jornal da Record":

Fúria, perseguição e pavor: homem rouba vários carros, provoca vários acidentes e atira várias vezes. Mergulhado no medo: deslizamento de terra causa mortes no Rio de Janeiro. Mais um dique se rompe e expulsa moradores. Em Minas Gerais, já são 116 cidades em situação de emergência. Isolados pela neve: vilarejo fica sem energia elétrica e transporte na Áustria. A primeira reportagem da série que mostra por que o nordestino está voltando para casa. O gol mais bonito do mundo: Neymar leva prêmio da Fifa. 

Mais "SBT Brasil" e "Jornal da Band".

Escrito por Nelson de Sá às 22h38

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Resolução de Ano Novo

De David Carr, que cobre mídia e tecnologia no "New York Times", em entrevista à NPR dois meses atrás, em post recuperado na virada de ano:

Estou olhando para o novo ano e pensando: Do que vou abdicar? Vou parar de acompanhar a NFL? Vou parar de ouvir música e sair para ver shows? Vou parar de andar com a minha bicicleta? Ou vou cortar um pouco os hábitos digitais que estão me comendo vivo.

Mais no "NYT" de 1º de janeiro, em depoimento do autor britânico Pico Iyer, "O prazer da quietude". E na reportagem "Os que resistem ao Facebook".

Escrito por Nelson de Sá às 15h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Para o Brasil e para os empregos

No fim do semana no "New York Times", no alto da home, com galeria de fotos e depois vídeo, Simon Romero e Douglas Engle reportaram de Brasiléia sobre o "árduo caminho dos haitianos para o Brasil e para os empregos". Duas semanas antes na Folha, com vídeo, Gustavo Hennemann e Joel Silva haviam revelado a entrada dos haitianos trazidos pelos "coiotes".

E um dia antes o mesmo "NYT" havia informado, do México, que "os novos caminhos dos migrantes remodelam a América Latina". Em suma, "os velhos padrões migratórios estão mudando" e "os EUA não são mais o ímã que foram um dia". Os latino-americanos seguem migrando, mas internamente, para outras regiões da própria América Latina.

O Council on Foreign Relations, think tank de grande influência sobre a política externa americana, diz que a migração de mexicanos para os EUA caiu a zero, segundo levantamento de Princeton, e pergunta:

O fim dos imigrantes latino-americanos?

Escrito por Nelson de Sá às 14h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O menor juro na história do país

A Bloomberg fechou a semana noticiando a queda dos juros futuros no Brasil, com a retirada da "pressão" de que a inflação fecharia 2011 acima da meta. A inflação dentro da meta foi destacada por "Wall Street Journal" e "Financial Times", com este registrando, na sexta:

Era para ser o pior dia da carreira de Alexandre Tombini. A maioria dos economistas apostava que a inflação viria acima da meta. Seria a primeira vez que um presidente do Banco Central teria fracassado desde 2003. Tombini estava enrascado e era só questão de esperar os dados. Mas nunca aconteceu. Para surpresa geral, a inflação veio em 6,5%, a maior em sete anos, mas dentro da meta.

O mesmo "FT" havia noticiado um dia antes que os "compradores se amontoam por lançamento global do Brasil", que levantou US$ 825 milhões "com o menor juro na história do país, colocando seus custos de empréstimo ao lado dos da França". No comentário on-line do jornal:

Feliz 2012! Não há forma melhor de iniciar o ano do que com uma venda de títulos mostrando a todos quem manda. O Brasil exibiu de novo sua posição invejável nos mercados globais. A oferta é mais uma lembrança da mudança dramática na sorte dos mercados latino-americanos.

No editorial "Coming of age", a chegada da idade ou, melhor, a obtenção de maturidade e respeito, o mesmo "FT" diz que "a região está muito bem" e seus líderes "podem olhar o mundo com certa presunção":

Pela primeira vez em memória, as palavras "América Latina" e "crise financeira" não são vinculadas rotineiramente. O crescimento é robusto e os bancos são seguros. A desigualdade caiu, mesmo subindo em outras partes. A pobreza baixou de 50% em 1990 para 30%. A ascensão da China estimulou muito dessa nova prosperidade. Ainda assim, o Brasil agora pode tanto criticar Pequim por seu câmbio subvalorizado quando elogiá-la por seu grande mercado para commodities. [Mas] persistem grandes desafios _especialmente a instabilidade social, os sistemas pobres de educação e a rangente infraestrutura.

Escrito por Nelson de Sá às 11h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Índia & Brasil também

O "Wall Street Journal" destacou que a Jaguar Land Rover, do grupo indiano Tata, e a Mahindra & Mahindra, maior fabricante indiana de SUVs, anunciaram planos para erguer fábricas no Brasil. Segundo o "China Daily", as vendas de carros no Brasil bateram recorde em 2011.

"WSJ" e "New York Times", com a foto, ressaltaram ainda o lançamento do novo EcoSport pela Ford na exposição de automóveis de Nova Délhi. Desenvolvido na fábrica de Camaçari, na Bahia, o veículo será também fabricado na Índia, para venda em mais de cem países pelo mundo.

Na exposição, Ratan Tata, o presidente de 74 anos do grupo Tata, defendeu que as autoridades indianas priorizem crescimento e não inflação, como vêm fazendo Brasil e outros, que cortaram juros, informou o "Financial Times".

Escrito por Nelson de Sá às 10h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

China & Brasil, FHC inclusive

"China Daily", com a foto, "Wall Street Journal" e agências noticiam a venda de 10% em cinco blocos do pré-sal, da Perenco para a Sinochem. A empresa chinesa já havia comprado 40% do campo de Peregrino da Statoil, em maio, e espera ganhar know how em águas profundas, sua prioridade.

Em artigo no "CD", o executivo francês Pierre Gadonneix ressalta "as oportunidades do pré-sal" na busca de "energia mais segura", parte do desafio de manter o crescimento de desenvolvidos e emergentes.

O mesmo "CD" publicou artigo da agência estatal Xinhua dizendo que, "como antídoto para o atual mal-estar econômico global, os Brics, um bloco de cinco grandes emergentes, deveria ter mais voz e um papel mais importante no mecanismo econômico mundial", citando FMI e outros.

Lembrado pelo "CD" num perfil de Charles Tang, presidente da Câmara de Comércio Brasil-China, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defendeu dias depois no jornal "O Globo" a "revisão das instituições internacionais", como o FMI, diante da "incrível expansão econômica da China", afirmando que "o Brasil desde a década de 1990 vem se aproximando da China".

Escrito por Nelson de Sá às 09h52

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

China quer livre comércio com Japão e Coreia

Edições: NYT/réplica/móvel/Nm, CD/móvel/Nm, WSJ/móvel/Nm e FT/réplica/móvel. Sites: NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 08h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aumentam os acidentes de trajeto, com trânsito

Edições: FSP/réplica/móvel/Nm, VE/réplica/móvel, OG réplica/móvel/Nm e ESP réplica/ móvel/Nm. Sites: FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 08h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nelson de Sá Nelson de Sá é articulista da Folha de S.Paulo.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.