Nelson de Sá

Toda Mídia

 

Vivendi volta às compras, contra a Net

O "Financial Times" noticiou, de Paris, que o grupo francês Vivendi conseguiu "resultados acima da expectativa" no primeiro trimestre. E que "a performance estelar foi da GVT, operadora que comprou há dois anos no Brasil, com aumento de 53,7% nas vendas".

E agora o grupo "mira mais aquisições no Brasil". Em Nova York, o presidente da Vivendi, Jean-Bernard Lévy, afirmou que busca negócios "em todo o ecossistema digital" do Brasil.

Pretende "preencher os dutos" da GVT com conteúdo e serviços, no mercado "quase intocado" do país:

O Brasil será um indutor importante de crescimento para nós.

O presidente da GVT, Amos Genish, confirma ao site Tele.Síntese que "o grupo resolveu olhar o Brasil como se fosse um continente e ampliar seus investimentos aqui", priorizando empresas de mídia digital:

Estamos interessados em tudo que puder ser usado na plataforma. 

A tele avança no Rio, mas não consegue sinal verde em São Paulo, mercado dominado por Net e Telefónica. Espera licença há sete meses e ameaça adiar as obras e a meta de disponibilizar 230 mil acessos:

São R$ 408 milhões que deixarão de ser investidos na cidade. 

No destaque do site Teletime, também ouvindo Genish, a GVT anunciou para o segundo semestre seu serviço de TV paga via satélite, com "meta ambiciosa: deixar a Net para trás em dois anos".

O Radar anota que o mexicano "Carlos Slim, dono por aqui da Net, Embratel e Claro, desembarca no Brasil no domingo".

A coluna e o blog voltam na segunda.

Escrito por Nelson de Sá às 12h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bilionários e suas campanhas

Na manchete do "New York Times", "Receita mira doadores que sustentam políticas". Mais precisamente, "os grandes doadores David e Charles Koch e George Soros", que financiam causas republicanas e democratas, respectivamente, através de grupos sem fins lucrativos com "papel cada vez maior na política americana".

Em 2009 e 2010, "Soros doou mais de US$ 12 milhões". Entre os beneficiados, a Latin American Initiative on Drugs and Democracy, que em 2009 juntou FHC, o mexicano Ernesto Zedillo e o colombiano Cesar Gaviria para apoiar a descriminalização da maconha, bandeira de Soros.

Segundo a AP, os grupos"se tornaram parte integral das campanhas para o Congresso e podem ter grande papel na eleição presidencial de 2012".

Escrito por Nelson de Sá às 10h54

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil retalia Argentina com barreira a carros

 

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 09h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Campanhas de Soros e Koch na mira da Receita

 

 

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ao assassinato

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Ou na edição facsimilar (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 02h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Violência em São Paulo, em Minas, na Bahia

Escalada do "Jornal Nacional":

Ladrões voltam a atacar caixas eletrônicos com explosivos em São Paulo. A preocupação com a insegurança faz o comércio estudar a retirada das máquinas.
A votação do novo Código Florestal é adiada mais uma vez por falta de acordo na Câmara dos Deputados.
Nossos repórteres mostram por que sobram tantas vagas no mercado de trabalho.
Na série especial sobre os problemas da educação no Brasil, o papel dos professores.
A exigência de licença prévia deve desacelerar o mercado de carros importados.
Países da União Europeia discute o fim das fronteiras abertas.
Franceses dizem que saberão em três dias se as caixas pretas do voo 447 poderão esclarecer o acidente.
Na Espanha, aumenta o número de vítimas do terremoto.
Na Itália, o maior vulcão da Europa volta a dar sinal de vida.
As cidades brasileiras que terão jogos da Copa das Confederações em 2013.  

E do "Jornal da Record":

Vítimas do tráfico. Durante tiroteio, criança vira escudo e fica cega em Minas Gerais. Na Bahia, mãe leva tiro enquando amamentava o filho. Ela morreu e a criança ficou ferida.
Reportagens exclusivas: Novas revelações sobre o assassinato do prefeito de Jandira. Comerciante denuncia extorsão praticada por policiais.
Bate-boca no Congresso. Deputado e senadora discutem por causa de panfleto contra os homossexuais.
A erupção do vulcão mais ativo da Europa.
Testes em macacos trazem esperanças para vencer o vírus da Aids.
Para a tristeza de muitas fãs, Neymar vai ser pai.
Na série especial, a tecnologia para desvendar a traição.

Escrito por Nelson de Sá às 22h49

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

NYT.com pago, o primeiro impacto

O número de "page views" no site do "New York Times" caiu 24,4% em abril, em relação a março, contra uma queda média de 7,5% nos sites dos jornais americanos, segundo a Comcast.

Para a "Ad Age", é efeito do "paywall", o acesso pago introduzido na passagem de março para abril, e estaria "dentro de níveis aceitáveis".

O "NYT" comentou que é efeito também da queda no noticiário do terremoto/tsunami no Japão, entre outras coberturas, o que afetou a audiência de outros sites de ponta, como Yahoo News (queda de 23,9%) e MSNBC.com (21,4%). Da porta-voz:

Levando em conta que é o primeiro mês em que você vê os padrões de tráfego pós-lançamento da assinatura digital, são números na verdade melhores do que as nossas projeções internas. E, apesar do valor dos números, que não pode ser minimizado, nós mantivemos nossa posição em termos de visitantes únicos e "page views", o que é importante. Para nós, isso é muito forte e nos deixa satisfeitos. 

Os dados foram bem recebidos no mercado, com o Citigroup avaliando que para ser rentável, mesmo perdendo 20% de audiência, o site precisa de 107 mil assinaturas. Nas três primeiras semanas, já atingiu 100 mil.

O "Barron's" ressalta que o Citigroup recomenda aos clientes "comprar" ações da The New York Times Co.

Escrito por Nelson de Sá às 11h52

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Facebook, o fiasco

Via Blue Bus, o Daily Beast expõe hoje uma campanha de descrédito que o Facebook tentou armar na imprensa contra o Google.

Semanas atrás, o Facebook contratou a empresa de relações públicas Burson-Marsteller, de Mark Penn, marqueteiro da campanha presidencial de Hillary Clinton. E este passou o serviço para seus jornalistas Jim Goldman, ex-CNBC, e John Mercurio, ex-National Journal.

"Como um par de Keystone cops", das comédias de cinema mudo, abordaram o blogueiro Chris Soghoian, sugerindo que publicariam artigo seu, denunciando falta de privacidade no serviço Social Circle do Google, no "Washington Post", no Huffington Post ou no Politico.

Desconfiado, Soghoian postou os e-mails enviados pela Burson-Marsteller, com repercussão on-line, no último dia 3.

Os dois jornalistas-lobistas abordaram ainda o "USA Today", com pauta semelhante. O jornal também tornou pública a campanha, no dia 6.

E hoje o Daily Beast confirmou com o próprio Facebook que era a empresa por trás do "fiasco digno de uma campanha de reeleição de Nixon".

Escrito por Nelson de Sá às 11h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Congresso aprova acordo Brasil-Paraguai

 

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 10h04

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nos EUA, bilionário de "hedge fund" é condenado

 

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h51

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Krugman vs. Mantega

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Ou na edição facsimilar, à pág. A10 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 03h24

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Criação de empregos bate recorde em 2010

Escalada do "Jornal Nacional":

Deputados debatem o novo código florestal. As normas de convívio da agropecuária com o meio ambiente.
Presos dois cantores sertanejos suspeitos de assaltos.
A capital da Itália respira aliviada com o terremoto previsto que não houve, mas a Terra treme e provoca mortes e prejuízos no Sudeste da Espanha.
A criação de empregos com carteira assinada no Brasil bate recorde em 2010.
Na série sobre educação, os problemas do ensino médio.
Pesquisadores americanos anunciam uma conquista importante contra doenças crônicas de pulmões. 

E do "Jornal da Record":

Última corrida. Dois taxistas são mortos no Rio e polícia faz operação em favela à procura dos assassinos.
Virou rotina. Bando explode caixa eletrônico a 500 metros de delegacia. Jovem morre em crime de saidinha de banco.
Faroeste colombiano. O flagrante de um tiroteio na cidade de Medellín.
Terremoto raro provoca mortes e destruição na Espanha.
Sessenta dias após a tragédia, nossos repórteres levam aparelho para medir radiação de Fukushima.
Protestos violentos na Grécia.
Brasília, capital do país, é a campeã das mulheres infiéis.

Escrito por Nelson de Sá às 21h14

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A história até aqui

De "A história até aqui: O que sabemos do negócio do jornalismo digital", lançado pela escola de jornalismo da Universidade Columbia:

Por décadas, houve uma conexão entre o jornalismo que as organizações de notícias fornecem e os anúncios que geram a maior parte de sua receita. Publicidade e conteúdo sempre foram intimamente ligados, no fluxo que surge diante do consumidor. Esse vínculo está se quebrando, e as organizações vêm se debatendo para substituí-lo por alguma coisa. Isso pode significar a venda de anúncios em sites que não possuem ou não controlam. 

É o que mais ecoa do relatório, de 146 páginas. Em análise, a Reuters sugere que, "se você vai reinventar o modelo de negócios para a era digital, é um lugar fértil para começar", sublinhando ser uma saída para a publicidade com "foco comportamental" e citando as experiências das empresas jornalísticas com o Yahoo e o Groupon.

Já o Media Guardian destaca, do relatório, que "o problema é que os jornalistas simplesmente não entendem seu negócio", o que se reflete não só no desafio de buscar novas receitas, mas na redação:

Uma das descobertas é que, embora haja evidência de que algumas redações integradas são eficientes, há mais evidência de que o progresso é mais rápido quando o lado digital é mantido à parte. A integração pode ser uma barreira à inovação no mundo digital.

Escrito por Nelson de Sá às 11h18

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

São Paulo emprega DEM e PPS de Pernambuco

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 10h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Em Benghazi, esquadrão da morte e vingança

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h36

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Desce ou sobe

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Ou na edição facsimilar, à pág. A10 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 02h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cenas cotidianas de morte

Escalada do "Jornal Nacional":

Alimentos ficam mais caros em abril. Má notícia para os brasileiros que ganham menos. E surge até um serviço de apoio jurídico para quem se endividou demais.
Ministros que receberam indevidamente diárias do governo federal devolvem o dinheiro.
No Japão, vizinhos da região da usina de Fukushima recolhem objetos nas casas que tiveram que abandonar.
Previsão antiga de um terremoto para amanhã divide os italianos.
Militares americanos que mataram Bin Laden estavam prontos para atacar também as forças armadas do Paquistão.
Países da União Europeia demonstram má vontade para socorrer Portugal na crise.
Na série especial de reportagem sobre os problemas da educação no Brasil, um retrato do ensino fundamental. 

E do "Jornal da Record":

Cenas cotidianas e inaceitáveis. Por ciúme, grupo mata rapaz. Por R$ 20, traficante executa jovem em porta de escola. Por despreparo, policial atira em adolescente.
Justiça autoriza investigação para saber se prefeita de Jandira está envolvida na morte de antecessor.
Cheios de gás. Consumidores protestam contra o preço da gasolina e descobrem na bomba ao lado que o álcool está mais barato.
Cheios de fúria. Policiais invadem Assembleia Legislativa de Alagoas.
A morte de Lacraia, dançarino que virou estrela do funk.
Reportagem exclusiva de Ana Paula Padrão: a vida no Afeganistão depois da ocupação americana.
Série especial de Carlos Dornelles: a capital brasileira onde os homens mais pulam a cerca.

Escrito por Nelson de Sá às 21h34

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Microsoft & Facebook vs. Apple

"New York Times", "Wall Street Journal" e "Financial Times" noticiam a compra do Skype por US$ 8,5 bilhões, hoje, como "a maior aquisição" ou "o movimento mais agressivo no mundo da comunicação" já feito pela Microsoft. O "Guardian" destaca que analistas ficaram chocados, dizendo que não vale, "após prejuízo recorde em 2010".

Já o TechCrunch afirma que, "embora aparente ter pago US$ 4,5 bilhões acima do valor", a compra garante à Microsoft o posicionamento no mercado de telefonia móvel _e permite ao Facebook, que tem a Microsoft como acionista, acesso a uma plataforma de comunicação sem precisar construir uma. Em outras palavras:

Microsoft e Facebook agora têm um porrete com o qual bater na Apple e em sua plataforma emergente, o Facetime.

Escrito por Nelson de Sá às 11h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

José & José

Do blog de José Dirceu, presidente da UEE em 1967, em sua crítica do blog de José Serra, presidente da UNE em 1963:

É louvável que lance um site e queira discutir o Brasil e políticas públicas. Quem sabe daí surjam programas, propostas e metas da oposição para o Brasil, os projetos que ela nunca teve ou que os tucanos, seus representantes, nunca mostraram. Vamos ao debate, como propõe na estréia do seu site o próprio José Serra. E, desta vez, daqui para a frente, com mais sorte, porque ontem, na estreia, o site de José Serra caiu várias vezes.

Escrito por Nelson de Sá às 11h24

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Globo e a nova classe média

Do diretor geral da Globo, Octávio Florisbal, a Maurício Stycer:

No passado, a classe C seguia os padrões das classes A e B. Queria ter as mesmas coisas. Eram seguidores. Houve uma mudança de comportamento e de valores. Acabamos de fazer uma pesquisa de classe C que mostra isso. Aquela divisão de que 80% do público é das classes C, D e E continua, mas eles têm mais presença, mais opinião. Eles ascenderam. Você tem que atendê-los melhor. Eles têm que estar mais bem representados e identificados na dramaturgia, no jornalismo. Antes, você fazia uma coisa mais geral. Hoje, não. A gente tem que ir, principalmente nos telejornais locais, ao encontro deles. Eles têm que ver a sua realidade retratada. Nos telejornais nacionais você também tem que cuidar bem para não colocar em excesso certos temas que não atendem tanto. A gente tem que fazer televisão para todos. O "Jornal Nacional" é bastante abrangente, mas se você vê o "Jornal da Globo", ele está atendendo mais classe AB e um pouco de C1. Por faixas horárias, você pode fazer mais isso. Você tem que ter um balanceamento para não perder classe AB. 

Sobre a Record, que avança com a nova classe média:

No passado, nosso concorrente era o SBT. O Washington Olivetto criou aquele slogan, "Líder absoluto da vice-liderança". Era um tipo de postura. A Record tem uma postura mais agressiva, "A caminho da liderança". É interessante porque, ao mesmo tempo em que pode incomodar, é um grande desafio. É uma maneira de ficar mais atento, mais acordado. É uma postura que te obriga a estar mais atento. Você é mais desafiado. A disputa pelo telespectador é democrática. Com o controle remoto, a pessoa muda, ela fica mais aqui ou menos ali se a emissora atende melhor ou não. É uma luta permanente, de minuto a minuto. Hoje há mais disputa. A Record tem mais recursos financeiros para brigar por audiência do que tinha o SBT. 

Foi o que levou à disputa pelo futebol, acrescenta.

Sobre a disputa de audiência com a Record, leia mais aqui.

Escrito por Nelson de Sá às 10h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sob bombardeio

De Natuza Nery, Fernanda Odilla e Catia Seabra, hoje na Folha:

O governo decidiu intervir no Ministério da Cultura para controlar o bombardeio sofrido por Ana de Hollanda. A secretária de Cultura do PT, Morgana Eneile, foi nomeada assessora especial com a missão de ajudá-la a debelar a crise. Em encontro com lideranças do PT em São Paulo, a ministra deu sinais de fragilidade. Observada da plateia por Eneile, chorou no início de sua fala, pediu desculpas e disse que estava emocionada. Culpou a imprensa por publicar "intrigas". Para interlocutores de Dilma, Hollanda sofre uma das campanhas mais "sórdidas" já protagonizadas por um ministro em cinco meses. 

Mais da campanha, aqui.

Escrito por Nelson de Sá às 10h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Depressão incapacita mais que doença cardíaca

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 10h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Por Osama, EUA arriscaram conflito com Paquistão

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h45

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Despenca

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Ou na edição facsimilar, às pág. A10 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 02h52

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ataque ao cartel. Preço do álcool vai cair

Escalada do "Jornal Nacional":

Um hábito perigoso entre os brasileiros. No ano passado, mais da metade da população gastou mensalmente mais do que recebe.
Agência Nacional de Saúde estuda formas de recompensa para quem se cuida. Uma delas seria um desconto em plano de saúde para quem tiver a intenção de parar de fumar.
O anúncio de um renascimento. A vida recomeça para o paciente de um transplante de face.
Uma casa mal assombrada. Promotores caçam fantasmas na Assembleia Legislativa do Pará.
Governo de Cuba estuda autorização para que seus cidadãos façam viagens de turismo para outros países.
Governo do Paquistão sobe o tom das críticas à operação americana contra Bin Laden.
Médicos dizem que Paulo Henrique Ganso vai precisar de seis semanas para se recuperar de uma lesão.
O brasileiro Thomaz Bellucci sobe no ranking do tênis mundial.
Em série especial de reportagens, você verá quais são os maiores problemas da educação no Brasil e por que é preciso resolvê-los com urgência. 

E do "Jornal da Record":

No trânsito que não anda, uma polêmica. É certo reduzir a velocidade nas vias expressas das grandes cidades?
Quadrilha rouba três caminhões carregados com quase 200 mil litros de combustível. Prejuízo é de R$ 3 milhões.
Ataque ao cartel. Ministro promete que preço do álcool vai cair.
Combate ao crack. Polícia do Rio retira viciados das ruas.
Ressaca carioca. Ondas de quatro metros atingem litoral e matam três pessoas.
Estados Unidos querem interrogar as mulheres de Osama bin Laden, presas no Paquistão. Elas podem revelar como o terrorista ficou tanto tempo escondido.
Tentação e vingança. Mulheres traem cada vez mais e confessam.

Escrito por Nelson de Sá às 21h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Serra e os sistemas laterais do cérebro

Do "Valor", sob o título "Lavareda busca razão do voto na neurociência":

Eleitores ligados a máquina de monitoramento de frequência cardíaca e respiratória e usando capacetes para registros eletroencefalográficos das ondas beta (que medem a razão) e alfa (a emoção) dos sistemas laterais do cérebro, além do rastreamento do movimento ocular por um mecanismo de "eye tracking". Todo este aparato foi usado no Ipespe, de modo experimental, em 18 indivíduos durante a campanha do ano passado. Antonio Lavareda, dono do instituto e da consultoria MCI, colaborador de campanhas do PSDB e do DEM, pôde constatar que os pesquisados tinham emoções afetivas despertadas quando viam imagens do então presidente Lula e da então candidata Dilma Rousseff lado a lado. E pôde observar que os pesquisados não fixavam o olhar no candidato José Serra.

Escrito por Nelson de Sá às 11h57

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Murdoch & F1

O "Financial Times" noticiou no final da semana e o "New York Times" ecoa hoje que Rupert e seu filho James Murdoch, donos da Fox e do "Wall Street Journal", "estão preparados para gastar um bocado de dinheiro para ter a Fórmula 1".

Já conseguiram como "parceiros no negócio" a família italiana Agnelli, dona da Ferrari, e querem o mexicano Carlos e seu filho Arturo Elías Slim, além de outras equipes da categoria.

A movimentação "causa alarme", diz o "NYT".

Escrito por Nelson de Sá às 11h25

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Contra as teles, Netflix

Na capa do "Financial Times", "Netflix próxima de acordos na América Latina". Na tradução do "Valor":

A Netflix, locadora americana de filmes e programas pela internet, avalia entrar na América Latina e está perto de anunciar acordos com três das maiores emissoras da região para veicular programas on-line na Argentina, no Brasil, no Chile e no México. A companhia negocia novelas e outros conteúdos da Televisa e da TV Azteca, no México, e da Globo, no Brasil, segundo pessoas familiarizadas com o projeto. Televisa, TV Azteca e Globo preferiram não comentar. 

Com 23 milhões de assinantes nos EUA, contra 15 milhões um ano atrás, a Netflix é "vista como uma ameaça e um concorrente em potencial para a indústria de TV por assinatura".

Escrito por Nelson de Sá às 10h54

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

De 50 mil homicídios, polícias solucionam 4 mil

 

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 10h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mercado imobiliário cai nos EUA

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sem lei?

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Ou na edição facsimilar, às pág. A10 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 02h25

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nelson de Sá Nelson de Sá é articulista da Folha de S.Paulo.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.