Nelson de Sá

Toda Mídia

 

Política, a comédia

O comediante Rafinha Bastos foi entrevistado pela "Wired", que destacou que ele ganha até U$ 4 mil por eventuais tweets patrocinados. Já o próprio anotou que "gostaria de tentar comédia nos EUA, talvez NY ou LA". Sobre o Twitter, deu como chave "ser verdadeiro". E mais:

Eu sou um artista. Eu digo o que está na minha cabeça. Eu vou dizer porque eu quero dizer.

E o cartunista João Montanaro, 14, foi perfilado pelo "Washington Post". Ele é "como qualquer menino brasileiro de 14 anos, ama futebol e games, mas também lê o jornal duas horas por dia". De João M:

Todo mundo desenha quando é garoto e pára. Mas eu continuo, desenhar é natural para mim. Eu gosto de charge política. Você pode fazer piada sobre alguém maior que você, e eu gosto disso. 

A coluna e o blog voltam na segunda-feira.

Escrito por Nelson de Sá às 12h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vale e o outro lado

Sobre Vale e política, Guilherme Barros anota que a diretora Carla Grasso, ex-governo FHC, "deve deixar o cargo" com a saída de Roger Agnelli.

E Claudio Humberto posta que "colocar o tucanoso Agnelli para presidir a estatal Cemig é antigo projeto de Aécio Neves".

Escrito por Nelson de Sá às 10h44

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O marketing dos juros

De Belo Horizonte, sob o título "PSDB vai explorar alta da inflação na TV", Vera Magalhães informa que a legenda "vai usar comerciais em maio para mostrar preocupação com sinais de 'descontrole' nos preços":

A forma de abordar será definida depois de pesquisa em abril. Martelar ter sido o partido que domou a inflação é visto pela direção como uma maneira de o PSDB definir um discurso. 

Apoiado por Aécio Neves e questionado por José Serra, Sérgio Guerra diz querer "organizar a comunicação do partido, que está muito errática".

Jorge Félix postou no Poder Online que a "CNI recebeu a primeira pesquisa Ibope de avaliação do governo Dilma", que "vai gostar dos números". E Lauro Jardim informa no Radar Online que:

As pesquisas que serão divulgadas quando romper a marca dos cem dias devem mostrar uma aprovação maior que a registrada pelo Datafolha. A primeira razão é a visita de Obama, avaliada como sinal de prestígio do país. A segunda foi a morte de José Alencar. Dilma tem aparecido em situações de emoção, que transmitem sintonia com a dor do brasileiro. Além disso, Lula a seu lado também a favorece. 

PS - Aqui, a pesquisa Ibope no site do lobby CNI.

Escrito por Nelson de Sá às 10h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Empresas pressionam e adiam trem-bala

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 09h40

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O retorno do subprime nos EUA

 

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h24

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Civis

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Na edição digital, à pág. A9 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 03h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Em Jirau, duas semanas depois

Escalada do "Jornal Nacional":

A equipe do JN no Ar está na hidrelétrica de Jirau. Há duas semanas os trabalhadores do maior projeto em construção do país destruíram alojamento em protestos, por causa de disputas trabalhistas. A obra está paralisada e não é a única nessa situação.
Em Cunha, São Paulo, um crime bárbaro levou a população a fazer uma manifestação hoje por Justiça. O principal suspeito pelas mortes de duas irmãs adolescentes já era foragido da Justiça. Ele deixou a cadeia há dois anos, beneficiado por uma saída temporária, e nunca mais voltou.
O presidente francês, Nicolas Sarkozy, é o primeiro chefe de Estado a visitar o Japão depois do terremoto, do tsunami e do vazamento de radiação. Ele propõe regras mais rígidas para o uso de energia nuclear.
No Brasil, o que está atrasado e o que está em dia nas obras para a Copa de 2014. 

E do "Jornal da Record":

Pontes e passarelas aos pedaços e despencando em quem passa por baixo.
Ponto final na investigação do crime da festa rave. Para a polícia, seguranças espancaram jovem até a morte.
Crime na igreja. Padre é baleado dentro da paróquia e assaltante foge sem levar nada.
O adeus a José Alencar. Depois do velório no Palácio da Liberdade, corpo do ex-vice é cremado em Minas.
A guerra na Líbia. Otan assume comando e intensifica as operações militares.
Brasil emergente. Consumidores da classe C pegam cartão emprestado para comprar mais.
Na série Virei Patrão, jornalista troca redação pela cozinha e tranforma brigadeiro de festa em doce chique.
Adriano chega ao Corinthians de olho na camisa verde e amarela.

Escrito por Nelson de Sá às 21h30

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A primeira vez da Microsoft

"Wall Street Journal", "Guardian" e até o site Politico destacam que a Microsoft abriu processo contra o Google no órgão antitruste da União Europeia, contra a "dominação da busca on-line", a "restrição da concorrência em detrimento dos consumidores".

Em blog explicando as razões da Microsoft, o executivo Brad Smith registrou, quase com ironia:

Tendo passado mais de uma década usando o sapato no outro pé com a Comissão Europeia, nossa reclamação formal antitruste não é algo que fazemos sem pensar. Esta é a primeira vez em que a Microsoft Corporation toma esse passo. Mais que a maioria, nós reconhecemos a importância de assegurar que as leis de concorrência se mantenham equilibradas e a inovação avance.

Escrito por Nelson de Sá às 11h47

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Reality e a realidade

Na coluna Outro Canal, de Keila Jimenez, "Globo diminui sua meta de audiência". Depois de almejar 22 pontos "por alguns anos", trabalha hoje com "18/19" pontos como ideal.

Na coluna Zapping, Alberto Pereira Jr. informa que na terça "a final do 'BBB 11' deu 29 pontos, uma queda de 49% na comparação com a final da primeira edição, em 2002, que marcou 57". E "no período a Record cresceu 304%, de 2 pontos em 2002 para 9 neste ano".

No R7, o blog de Daniel Castro entrevista o diretor Boninho sobre os dez anos de "Big Brother Brasil".

E noticia que "Ídolos", reality show da Record, "entra no ar no dia 5 com quatro cotas de patrocínio já vendidas", cada uma por R$ 35 milhões, para Net, Oi, Fiat e Pepsi.

Escrito por Nelson de Sá às 10h37

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

31 de março

Hoje na Folha, o capitão "Jair Bolsonaro diz se 'lixar' para críticas de gays". A Câmara dos Deputados abriu processo para investigar as declarações do parlamentar ao "CQC". E ele, "para tentar mostrar que não tem preconceito, afirma que sua mulher é 'afro' e o sogro, 'negão'".

Hoje no "Globo", "Sebastião Curió, major da repressão no Araguaia, é preso", durante "operação de busca e apreensão a documentos da ditadura", porque "guardava em casa armas sem o devido registro". Ele "foi levado para o Batalhão de Polícia do Exército, uma vez que é militar".

Escrito por Nelson de Sá às 10h17

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O boi gordo perdeu força no pasto

Em meio ao barulho por elevação dos juros, em manchetes e colunas seguidas sobre inflação, Mauro Zafalon informa hoje que, na realidade, "Commodities já pressionam menos a inflação".

Produtos como algodão "ainda pesam no IGP-M", mas "a soja registra forte queda" e "os preços do boi gordo perderam força no pasto". Para o álcool, "um dos pesos importantes no IGP-M e que registrou preços recordes", já está "prevista menor volatilidade".

E Vinícius Torres Freire explica o barulho:

O pessoal do Banco Central é muitíssimo circunspecto e educado. Mas o fato é que não está dando muita bola, se alguma, a críticas até estupefatas de economistas do setor financeiro às mudanças na política monetária -juros, grosso modo. A tranquilidade do BC e a reafirmação das mudanças ficaram evidentes no Relatório de Inflação, ontem... No dia a dia, ouve-se mais crítica ao novo modus do BC entre economistas -os banqueiros estão mais tranquilos. A mudança é a maior do governo Dilma. Foi uma escolha de risco. Que vai mudar muita coisa "neste país" se vier a dar certo.

Escrito por Nelson de Sá às 09h47

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

BC adota política gradualista contra inflação

 

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 09h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Espiões da CIA estão ajudando rebeldes

 

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h05

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Yuan, yuan

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Na edição digital, à pág. A16 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 08h44

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Obama autorizou ajuda da CIA aos rebeldes

Escalada do "Jornal Nacional":

O discurso e a prática. Autoridades públicas pedem colaboração de todos contra a dengue. Mas nem sempre dão o exemplo
O Ministério Público pede embargo de obra na hidrelétrica de Jirau. É o próximo destino do JN no Ar.
Apreensões da polícia mostram que falsários aproveitam a falta de intimidade dos brasileiros com a nova nota de R$ 100.
A radiação ultrapassa limites de segurança e chega a 40 quilômetros da usina de Fukushima, no Japão.
Agências de notícias dizem que Barack Obama autorizou a ajuda do serviço secreto americano aos rebeldes que combatem o líbio Muamar Gaddafi.
O real tem o maior valor frente ao dólar desde 2008.
Em Portugal, o ex-presidente Lula é homenegado pela Universidade de Coimbra.
Em Brasília, o corpo do ex-vice José Alencar é velado no Palácio do Planalto. 

E do "Jornal da Record":

Cena histórica no Palácio do Planalto. Populares fazem fila para se despedir de José Alencar. A dor da família e o carinho dos políticos. Presidente Dilma antecipa viagem para participar do velório. Em Portugal, Lula dedica prêmio ao companheiro. Em Minas, amigos revelam o jeito simples de Alencar.
Outras notícias desta quarta-feira:
Contra-ataque na guerra da Líbia. Ditador Gaddafi reconquista cidades e refugiados invadem ilha italiana.
Viraram patroas. O talento e a persistência de duas empresárias de sucesso.

Escrito por Nelson de Sá às 21h22

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Em não-guerra

Doutrina Obama? Não, diz Jon Stewart, sempre foi assim:

A "Economist", que já viveu dias melhores, ecoou Wolf Blitzer.

Escrito por Nelson de Sá às 12h10

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A sucessão no império

A News Corp. anunciou e o "Guardian" destaca que James Murdoch, o filho mais novo de Rupert, foi promovido a número 3 da corporação, em Nova York, abaixo apenas do pai e de Chase Carey:

Ação confirma que está sendo alinhado como sucessor.

Ele segue no comando dos negócios da News na Europa e na Ásia, que incluem a TV paga BSkyB e o "Times". Neste mês, conseguiu aprovação do governo britânico para estender o controle acionário sobre a primeira e os primeiros sinais positivos _aumento de 60% nas assinaturas_ do plano de acesso pago ao site do segundo.

Escrito por Nelson de Sá às 11h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Integração marqueteira

De Flávia Marreiro e Patrícia Campos Mello:

Dias depois de aparecer na dianteira da corrida presidencial peruana, Ollanta Humala lançou documento para acalmar investidores, a exemplo do que fez Lula em 2002. A estratégia intensificou suspeitas de adversários de que sua campanha estaria sendo assessorada pelo PT e/ou pelo marqueteiro de Lula, João Santana. Tanto petistas como humalistas negam. "Quem dera tivéssemos dinheiro para contratar Santana, um dos melhores do mundo", disse um dos porta-vozes de Humala. Em nota, a campanha afirma que contratou "uma pequena" empresa brasileira de diagnóstico eleitoral.

Claudio Humberto diz que "Humala contratou três marqueteiros do PT".

Santana já foi o marqueteiro de Mauricio Funes, eleito em El Salvador após lançar uma "carta à nação" de teor semelhante.

Por outro lado, a "Perú21" noticiou no último mês que a empreiteira brasileira Camargo Corrêa era uma das "maiores financiadoras de Alejandro Toledo", adversário de Humala. E que, no Brasil, apoiou "vários partidos opositores ao governo de Lula".

Escrito por Nelson de Sá às 10h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Crédito cresce. Combustíveis sobem

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 10h06

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

EUA debatem armar rebeldes, mas temem Al Qaeda

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Globalização da ciência

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Na edição digital, à pág. A10 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 09h28

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Morre José Alencar. A emoção de Lula

Escalada do "Jornal Nacional":

A hora do descanso. Morre em São Paulo o ex-vice presidente da República José Alencar. Chega ao fim a guerra de 14 anos contra o câncer. Nossos repórteres mostram a trajetória do empresário que conquistou a confiança do então candidato Lula. As reações à notícia de sua morte. Em visita a Portugal, a presidente Dilma decidiu antecipar o retorno ao Brasil.
A paralisação de obras do PAC por conflitos trabalhistas provoca reunião em Brasília.
Protestos populares levam à queda de integrantes do governo da Síria.
Na Líbia, rebeldes são obrigados a recuar diante de uma ofensiva de tropas leais a Muamar Gaddafi.
Advogados de Berlusconi querem George Clooney e Cristiano Ronaldo como testemunhas na defesa do primeiro-ministro italiano.
Cientistas concluem que é preciso dormir bem para emagrecer. 

E do "Jornal da Record":

Em Portugal, a emoção de Lula. No Brasil, a despedida dos eleitores. José Alencar será velado em Brasília e enterrado como chefe de Estado em Minas Gerais.
Crime brutal. Delegada diz que ciúme motivou assassinato de irmãs em São Paulo.
Na Líbia, exército de Kadafi faz rebeldes baterem em retirada. Inimigos prometem aumentar a pressão para a saída do ditador.
A festa para o artilheiro. Luis Fabiano está de volta ao São Paulo.
Na série Virei Patrão, o sitiante que encontrou nas árvores o ouro do Cerrado.

Escrito por Nelson de Sá às 21h15

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rene, 17, leva o Shorty

O Shorty Awards, "Oscar do Twitter", premiou ontem Rene Silva Santos, na categoria Inovação, e Marina Silva e TheBloggess, em política.

Rene, 17, é o publisher do Voz da Comunidade e marcou a cobertura no Complexo do Alemão, no final do ano passado. Via Thaís Arbex.

Escrito por Nelson de Sá às 11h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil & Portugal

Coincidindo com a viagem de Dilma Rousseff e Lula a Coimbra e logo após o retorno de José Dirceu de Lisboa, a "Portugal Telecom assume participação de 25,6% no grupo Oi", noticia a Reuters:

A fatia dos portugueses na Oi é superior à estimada quando a aliança estratégica entre as teles foi anunciada, em julho passado. A expectativa era que a PT ficasse com 22%.

Escrito por Nelson de Sá às 11h33

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Thom Yorke, publisher

Ainda não é o "newspaper album", caixa que o Radiohead começa a vender em maio com dois discos de vinil e um jornal, mas a banda lançou ontem o tabloide "The Universal Sigh", o suspiro universal, com textos de Robert McFarlane e Jay Griffiths, poemas e ilustrações. Foi distribuído pelas ruas na Europa, nos EUA e na Austrália.

Escrito por Nelson de Sá às 10h56

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A morte em papel

No enunciado do paidContent, a "Computer Weekly" foi "morta" ontem pela TechTarget, que comprou o título, encerrando 45 anos de vida em papel. Com 425 mil acessos por mês e 165 mil assinantes, o site continua.

Escrito por Nelson de Sá às 10h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O satélite sobe com o Nordeste

No destaque do site Teletime, em fevereiro a TV por assinatura "ultrapassa a marca de dez milhões de assinantes", porém o "market share do cabo cai abaixo de 50%":

Novamente, o DTH (satélite) cresceu acima da média do setor. Com isso, a base de assinantes do cabo passou a representar 49,7% do total (5 milhões), enquanto o satélite chegou a 47,3% (4,8 milhões). Em fevereiro do ano anterior, a base do DTH era de 37,9%, enquanto as operadoras de cabo tinham 57,6% de market share. 

E Norte e Nordeste "apresentaram crescimento acima da média nacional, 55,1% e 54,6%, respectivamente".

Escrito por Nelson de Sá às 09h45

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

TV laranja

Na manchete de domingo da Folha, em reportagem de Elvira Lobato, "Donos usam laranjas em licitações de rádios e TVs" e já estão vendendo suas "concessões milionárias" até pela internet. Das 91 empresas analisadas, 44 não funcionam nos endereços oficiais:

Por trás de donas de casa, funcionários públicos e cabeleireira há igrejas, políticos e especuladores.

Ontem o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, "anunciou que o governo cassará as concessões que foram adquiridas em licitações por empresas registradas em nome de laranjas".

Escrito por Nelson de Sá às 09h24

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sob pretexto de defender civis, alvo é Gaddafi

 

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 08h34

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Obama rejeita usar força para derrubar Gaddafi

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 08h13

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Petróleo, petróleo

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Na edição digital, à pág. A12 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 07h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vazamento no Japão ameaça contaminar o mar

Escalada do "Jornal Nacional":

Cai o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, depois de reportagem denúncia apresentada pelo ''Fantástico''.
Uma cidade reconhece presidente da Câmara dos Vereadores vendendo drogas na estrada.
A chuva tira moradores das casas no Rio Grande do Sul e causa prejuízos à lavoura no Centro-Oeste brasileiro.
Ex-vice presidente José Alencar é internado em São Paulo.
Plutônio no solo de Fukushima. A contaminação radioativa atinge níveis ainda mais preocupantes.
Barack Obama vai à televisão explicar o papel dos Estados Unidos na operação militar na Líbia.
Rogério Ceni garante o nome na história do futebol mundial.  

E do "Jornal da Record":

Doutor propina. Advogado é acusado de extorquir dinheiro de trabalhadores rurais. Quem se aposenta tem que pagar mensalidade.
Incêndio no Rio. Fogo destroi prédio histórico da UFRJ.
Direção perigosa em São Paulo. Adolescente atropela e mata estudantes em ponto de ônibus.
Na China, motorista evita acidente por centímetros.
O inferno de Fukushima. Vazamento de plutônio em usina pode contaminar o mar.
O pesadelo da Líbia. Nossos repórteres na zona de combate mostram casa atingida por míssil.
O sonho de ser patrão. Na nova série do "Jornal da Record", o catador de ferro-velho que se tornou empresário do aço.
Goleiro artilheiro. Rogério Ceni chega aos cem gols e entra para a história do futebol mundial.

Escrito por Nelson de Sá às 22h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Terroristas, entre aspas

A Reuters despachou, sobre Jerusalém, que "a polícia disse que foi 'ataque terrorista', o termo de Israel para ataque palestino". A "Atlantic" fez piada, mas está no manual da agência, "não usar o adjetivo terrorista", para que "os leitores possam fazer o seu próprio juízo".

No Brasil da ditadura, como escreveu Janio de Freitas, "os 'terroristas' foram assim batizados pelo 'Jornal do Brasil'". Mais precisamente, descreveu ele em entrevista ao site Fazendo Media:

Quando começam aqui no Rio, e no Brasil, os movimentos armados, as primeiras ações, quem passa a absurdamente chamar os participantes de "terroristas", como ficou consagrado na imprensa brasileira, não foram os militares, não. Isso foi dado na redação do "Jornal do Brasil" por um jornalista que hoje se diz democrata.

Escrito por Nelson de Sá às 11h27

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Facebook & Casa Branca

O "New York Times" informa que o "Facebook está negociações para contratar Robert Gibbs, que deixou a Casa Branca em fevereiro depois de dois anos como secretário de imprensa de Obama":

Um emprego para Gibbs no Facebook pode significar milhões de dólares. Pessoas informadas sobre as negociações dizem que receberia um salário e ações antecipadas do IPO que pode ser o maior lançamento da história... O Facebook se tornou foco de Washington, com parlamentares e reguladores tratando de questões de privacidade e segurança. Já ampliou seus esforços de lobby, que incluíram conversas com o diretor de Inteligência Nacional e a Agência de Inteligência de Defesa. 

O mesmo "NYT" trata das intervenções políticas de redes sociais como o Facebook, a pedido do governo dos EUA e seus aliados.

Escrito por Nelson de Sá às 10h57

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

[Warning]

A alemã "Der Spiegel" publicou, mas a mídia americana escondeu. E a "equipe de assassinatos" retorna, com 18 fotos "extremamente gráficas" e dois vídeos, na nova "Rolling Stone".

Escrito por Nelson de Sá às 10h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Cês vão perder"

Mônica Bergamo, sobre o encontro da presidente Dilma Roussef com diretoras de cinema no Palácio da Alvorada:

Dilma tentava escapar do cerco das seis jornalistas que, também convidadas, tentavam arrancar alguma revelação. "Por que Lula recusou o convite para almoçar com o Obama?", perguntou a Folha. Dilma segura no ombro da colunista e afirma, com sotaque mineiro: "Ô, gente, não aposta nisso [desentendimento com Lula]. Cês vão perder... Cê sabe pra onde que eu vou? Eu vou para Portugal com o Lula, gente"... A diretora Ana Maria Magalhães diz que tem um amigo "muito reacionário" que está adorando Dilma. "Eu até penso: o que está acontecendo de errado?", brinca Ana. "Sabe que até eu às vezes me pergunto? O que será que eu estou fazendo de errado?", diz a presidente, rindo.

Escrito por Nelson de Sá às 09h30

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dilma quer diplomacia de resultados

Para as edições, FSP/índice, VE/índice, OG e ESP. Para os sites, FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 09h14

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ataques ajudam rebeldes. Obama defende ação

Para as edições, NYT, CD, WSJ e FT. Para os sites, NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h02

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brics além da economia

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje, com links (assinantes Folha e UOL). Na edição digital, à pág. A8 (assinantes Folha).

Escrito por Nelson de Sá às 08h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nelson de Sá Nelson de Sá é articulista da Folha de S.Paulo.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.