Nelson de Sá

Toda Mídia

 

Por 11 Estados, sete mil focos de incêndio

Escalada do "Jornal Nacional":

Mais de sete mil focos de incêndio pelo Brasil. É mais que o dobro do que em agosto do ano passado. No Norte de Mato Grosso, ainda há fogo na cidade Marcelândia, devastada pelas chamas sem controle.
A China volta a enfrentar tempestades e aumenta o número de mortos em deslizamentos de terra.
Na Colômbia, enxurrada e o desespero de quem se viu cercado pelas águas.
Datafolha divulga a mais nova pesquisa de intenção de votos dos eleitores na disputa da Presidência.
Médicos recomendam cuidados para prevenir doenças cardíacas entre as mulheres.
Kaká diz que recebeu infiltração no joelho durante a Copa da África do Sul.
Nossos repórteres mostram a escola japonesa que ensina estrangeiros a fazer sushi.
Se você acha que uma sexta-feira 13 não traz boa sorte, veja agora o "Jornal Nacional". 

Do "Jornal da Record":

Fim da procura. Motorista que matou um pai na frente da família se entrega à polícia. O motivo do crime foi um acidente de trânsito.
Onze Estados em chamas. A falta de chuva provoca incêndio no campo e nas cidades. Em São Paulo, uma comunidade é destruída pelo fogo.
Nota zero. Menino agride colega com tapas e chutes dentro da sala de aula e depois posta o vídeo na internet. Em Belém, jovem é esfaqueada por outra estudante.
Um flagrante de desabamento na China.
Imagens exclusivas do "Jornal da Record". O esforço para salvar a vida de rinocerontes na África. No fundo do mar, o encontro com um gigante.
Noite de sexta-feira. Hora do pagode, do forró e do funk. Na série especial, a força e a alegria da Rocinha. 

E do "SBT Brasil":

Por falta de higiene na cadeia, a Justiça manda soltar presos por tráfico de drogas e estupro. Antes da liberdade, o juiz fez estas exigências: não cometer mais crimes, não usar drogas e não se embriagar.
Um empreiteiro é acusado de legalizar R$ 165 milhões para o bando criminoso PCC.
A cidade de Mato Grosso quase destruída pelo fogo decreta situação de emergência. Em São Paulo, o fogo destrói uma favela. Na Europa, Portugal e Espanha enfrentam as chamas.
Confirmada a primeira morte pela superbactéria.
A cidade de Santa Catarina em que os moradores foram proibidos de construir e reformar imóveis.
Em São Paulo, promotores denunciam desvio de verba que deveria recuperar patrimônio histórico.
O fim de semana pode ter neve nas regiões serranas do Sul.
Veteranos humilham calouros no trote da Universidade Federal de Minas.
No Rio de Janeiro, a sexta-feira 13 é dia de samba e alegria.

A coluna e o blog voltam na segunda-feira.

Escrito por Nelson de Sá às 23h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lula lá

Da coluna de Ancelmo Góis, sob o título "Brasil na moda":

O programa "60 Minutes", um dos mais respeitados da TV americana, vem gravar no Brasil este mês. Lula será entrevistado.

Escrito por Nelson de Sá às 11h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

TV Cultura para quê?

A Folha informa que 450 funcionários responsáveis por serviços da Cultura, como operações para TV Assembleia e TV Justiça, deverão ser dispensados. E que sindicatos criaram o movimento "Salve a TV Cultura".

Já o presidente da Fundação Padre Anchieta, João Sayad, "a sindicalistas, nega corte em massa na Cultura":

Queriam me ouvir sobre os boatos. Eu disse que era tudo mentira.

Do secretário da Cultura, Andrea Matarazzo, ao blog Poder Online:

A TV Cultura é uma ficção. É "cool" gostar, mas ninguém assiste. São R$ 80 milhões para quê? Pagar salários de conselheiros?

Escrito por Nelson de Sá às 10h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Globo e o primeiro turno

Do Painel de Renata Lo Prete, sob o título "Deixa estar":

Ainda que nos bastidores expressem insatisfação com o tratamento dispensado a Dilma Rousseff no "Jornal Nacional", membros do comando da campanha petista resolveram medir as palavras e nem no Twitter liberaram um discurso virulento contra a Globo. Eventuais cobranças ocorrerão em privado. O objetivo é evitar que um contencioso com a emissora atrapalhe a candidata, sobretudo diante da meta, cada vez mais escancarada, de tentar liquidar a fatura no primeiro turno. Rui Falcão, da coordenação: "Não me manifestei por acreditar que o testemunho do Roberto Jefferson fala por si". 

Já a Globo, em nota, diz que "militantes do PT reclamaram, militantes do PSDB reclamaram, até nisso houve equilíbrio":

Desde 2002, as entrevistas têm o mesmo tom. Neste ano, não foi diferente. Basta comparar as entrevistas, pergunta por pergunta, para perceber que tiverem o mesmo grau de dificuldade. 

Foi o que fez Reinaldo Azevedo, antes da Central Globo de Comunicações.

Escrito por Nelson de Sá às 10h12

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Meia Bolívia" de gás no Maranhão

 

Para as edições, FSP (índice), VE (índice), ESP e BE. Para sites, FSP, VE, ESP e BE.

Escrito por Nelson de Sá às 09h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Após quatro dias de denúncias, agência interdita

 

Para as edições, OG e OD. Para os sites, OG e OD.

Escrito por Nelson de Sá às 09h44

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Laboratórios investigados por corrupção "de anos"

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CD e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

David Cameron reduz o Estado britânico

Para as edições, Time e Economist. Para sites, Time e Economist.

Escrito por Nelson de Sá às 09h24

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Lula's Lady"

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje com links. Na Folha digital, à pág. A14.

Escrito por Nelson de Sá às 09h16

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jatinho vai parar na Baía da Guanabara

Escalada do "Jornal Nacional":

Incêndio se espalha e provoca destruição em uma cidade no Norte de Mato Grosso.
Um jatinho se acidenta ao pousar no Rio de Janeiro e provoca o cancelamento de voos no aeroporto Santos Dumont.
Vereadores de São Paulo querem obrigar maternidades a usar uma pulseira eletrônica de identificação de recém-nascidos.
Indenizações para perseguidos da ditadura militar serão revistas pelo tribunal de contas.
A Agência Nacional de Petróleo interdita uma plataforma da Petrobras por motivos de segurança.
Torcedores do Internacional festejam o time que está a um passo do bicampeonato na Libertadores.
Jogador da seleção que se machucou no minuto em que entrou em campo será operado.
Veja também o ensaio para o show dos 25 anos do Criança Esperança.
E uma entrevista com o candidato do PSOL à Presidência, Plinio de Arruda Sampaio. 

Do "Jornal da Record":

Dezenas de voos cancelados e um dos principais aeroportos do país fechado. Tudo por causa do avião que caiu na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. A aeronave levaria a apresentadora Xuxa ao Recife.
Falsa enfermeira invade berçário e rouba bebê que só tinha três horas de vida.
Socorro pela internet. Jovem recebe mensagem de colega que tentava se matar a 500 quilômetros de distância. Ele avisou os bombeiros e salvou o amigo.
Terror em Bogotá. Carro-bomba explode e deixa ao menos nove feridos.
Sufoco no Centro-Oeste. Tempo seco e fumaça provocam doenças e corrida aos hospitais.
Compra agora, paga depois. Vender fiado é a solução dos comerciantes para combater a crise.
Escritores do bem e do mal. Autor de livro é preso assaltando escola. Voluntários ajudam brasileiros que não sabem escrever.
A Rocinha está no ar. Nossos repórteres mostram como o morro se comunica e divulga seus talentos. 

E do "SBT Brasil":

O avião que levaria a apresentadora Xuxa ao Recife vai parar na Baía de Guanabara.
Um incêndio destrói mais de cem casas e madeireiras em Mato Grosso.
Um terremoto provoca susto no Equador e fecha o Tribunal de Justiça em Rondônia.
A polícia atrás de estudantes que faltam às aulas no interior de São Paulo.
Está terminando o prazo para o cadastro de eleitores que vão votar em trânsito.
São Paulo aprova o uso obrigatório de pulseiras eletrônicas para evitar o sequestro de bebês em maternidades.
Uma mulher de 74 anos presa por estelionato quando tentava pegar R$ 5 milhões.
Carro-bomba explode em Bogotá, cinco dias depois da posse do novo presidente da Colômbia.
Um povoado que mudou de endereço para a construção de duas hidrelétricas.
Valdívia e Renato Gaúcho. A volta de dois ídolos para Palmeiras e Grêmio.
O Internacional com uma das mãos na taça da Libertadores.

Escrito por Nelson de Sá às 22h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A partir do dia 17

Manchete do UOL neste momento, "Dilma terá três minutos a mais que Serra em TV e rádio", como divulgou hoje o Tribunal Superior Eleitoral. Tempo dos principais candidatos, em cada um dos dois blocos diários de 25 minutos, toda terça, quinta e sábado até 30 de setembro:

Dilma    10min38s
Serra      7min18s
Marina    1min23s
Plínio      1min1s

O portal informa que, além dos programas do horário eleitoral, haverá "mais seis minutos diários, divididos em inserções de no máximo 60 segundos, distribuídos ao longo da programação das emissoras, entre 8h e 24h, inclusive aos domingos". Por dia:

Dilma      2min33s
Serra      1min45s

Segundo o blog de Tales Faria, há pouco no portal iG, "Lula estará em 'praticamente todos' os programas de Dilma".

Escrito por Nelson de Sá às 11h30

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tratamento especial

Do Twitter de Roberto Jefferson, das 21h de ontem até agora:

William Bonner e Fátima Bernardes facilitaram para o meu candidato. Foram mais amenos com ele... Escrevo para meus leitores sem paixão. Compare a Inquirição da Dilma e do Serra... O Bonner me fez de Judas. Mas não falou do Arruda... Revi a Inquisição de Dilma, no Youtube, feita no "Jornal Nacional". Comparei com a entrevista ao Serra. Faça o mesmo. Compare... A Datafolha de amanhã pegará ainda a entrevista de Serra ao "JN" pois será encerrada hoje... O Serra é o melhor candidato. Não precisava do tratamento especial

Por outro lado, no blog de Reinaldo Azevedo:

Os dois jornalistas deram moleza ao tucano? Que eu tenha visto, nenhuma! Ao contrário. Foi a mais dura das três entrevistas. Todas as perguntas, sem exceção, buscaram confrontá-lo ou com suas supostas contradições ou com juízos de valor feitos por seus adversários, ali expostos para que comentasse ou contraditasse. Então vem a qualidade das respostas. Serra falou com fluência, clareza, com os termos da oração no seu devido lugar e com muita tranquilidade.  E não procurou se apoderar do tempo. Interrupção só na saudação final. Deixou que os jornalistas fizessem seu trabalho.

Mais aqui e aqui.

O blog Radar Político postou no Estadão que Lula, no dia seguinte à entrevista no "JN", passou o "recado" de que tem "certeza que os ataques a Dilma ficarão cada vez mais duros" e "por isso destacou a 'tranquilidade' da candidata" com Bonner:

Escrito por Nelson de Sá às 10h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pré-sal "tem chance de ir aos tribunais"

Para as edições, FSP (índice), VE (índice), ESP e BE. Para sites, FSP, VE, ESP e BE.

Escrito por Nelson de Sá às 09h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Petrobras "vai parar após dois dias de denúncias"

 

Para as edições, OG e OD. Para os sites, OG e OD.

Escrito por Nelson de Sá às 09h26

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bolsas desmaiam por medo de "segundo mergulho"

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CD e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h18

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Caos?

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje com links. Na Folha digital, à pág. A16.

Escrito por Nelson de Sá às 09h04

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rapto e abuso de crianças, pedofilia, exploração

Escalada do "Jornal da Record":

Infância em perigo. Na Bahia, caminhoneiro rapta três meninas e abusa sexualmente delas. No Rio de Janeiro, crianças eram obrigadas a roubar para não apanhar da mãe viciada em crack.
A prova do crime. Pedófilo é identificado porque gravou a imagem do próprio carro em sessões de pornografia infantil.
A criatividade do mal. Ladrão dribla a porta giratória e segurança de um banco para roubar R$ 500 mil.
A entrevista termina em discussão e briga. Candidato a senador não gostou da pergunta e partiu para a violência.
Correios adiam concurso para a contratação de novos funcionários. A falta de carteiros atrasa a entrega de correspondências.
Os dois lados da Rocinha. No mesmo morro, barracos de madeira e casas de luxo, fartura e pobreza. Nossos repórteres encontram na mesma comunidade um abismo social. 

E do "SBT Brasil":

Rebelião de menores infratores destrói uma unidade de internação no Espírito Santo.
O revólver que disparou quando o manobrista mostrava a arma para um menino.
Um agricultor morre com mordidas de um javali em Minas.
A superbactéria resistente aos antibióticos que assusta os cientistas.
A demora no atendimento foi a causa da morte de um recém-nascido no Pará.
Brasileiros sofrem com a correspondência atrasada e carteiros estão sobrecarregados.
Fernando Rodrigues responde: a Lei da Ficha Limpa, afinal, vale ou não vale?
Um candidato a senador parte para a briga com apresentador durante entrevista.
É outro futebol em campo, A seleção recupera a arte e o espetáculo que consagraram o futebol brasileiro.

Escrito por Nelson de Sá às 23h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Globo quer proteção

Do blog de Daniel Castro no R7, da Record, sob o título "Globo pede veto a estrangeiros na produção de conteúdo":

Em discurso na Associação Brasileira de Televisão por Assinatura, o presidente das Organizações Globo, Roberto Irineu Marinho, defendeu legislação que permita "concorrência equilibrada" entre empresas brasileiras e estrangeiras. Marinho se referia ao PLC 116 (ex-PL 29) em tramitação no Senado, que permite às telefônicas a exploração de TV a cabo e elimina limitações ao capital estrangeiro. Mas defendeu a adoção de "salvaguardas às empresas brasileiras" na produção de conteúdo, impedindo que as estrangeiras (mais especificamente, as telefônicas) façam isso. Marinho disse que quem produz conteúdo, caso da Globosat, só deve produzir e programar conteúdo. Quem distribui deve apenas distribuir. A declaração marca novo posicionamento da Globo: a empresa agora é uma produtora e programadora de conteúdo. A Globo, deduz-se, estaria desistindo de atuar na distribuição de TV paga. Deve, portanto, vender suas participações na Net e na Sky assim que o PLC 116 for aprovado.

Julio Hungria destaca, com IDG Now, que a "Globo quer que participação estrangeira no jornalismo seja restrita". Para Marinho, "presença de grupos como Telefónica e Ongoing fere a Constituição".

Mais nos sites Teletime, Tele.Síntese e Meio & Mensagem.

Marinho criticou as cotas para conteúdo nacional previstas no PLC 116 para estimular produtoras independentes. Diz que a cultura brasileira "não precisa de cotas para ser protegida", porém elas "serão aceitas em nome de uma nova legislação", no destaque do Teletime:

Por princípio, discordamos delas por não privilegiarem a qualidade, mas a busca pelo consenso é importante no momento que vivemos

O site informa que o presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, o tucano Flexa Ribeiro, "articula junto aos presidentes das outras quatro comissões por onde tramitará o PL 116 a produção de relatório conjunto" para "permitir que seja aprovado até o final de 2010".

Escrito por Nelson de Sá às 10h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

José Serra é Jânio Quadros?

De Marco Antônio Villa, sob o título "Onde está a oposição?":

A oposição poderia ter criticado o rumo da economia, a segurança pública, os milhões de analfabetos ou a péssima situação da saúde. Mas silenciou. Abdicou do combate. Acreditou que o relativo crescimento da economia blindava o governo de críticas. Ledo engano. No quinquênio juscelinista, o país cresceu a taxas superiores, realizou grandes obras (o que não ocorre agora) e JK não elegeu o sucessor. Por quê? Porque a oposição fez o seu papel. Com a proximidade das eleições, a oposição ficou sem saber o que fazer. Esqueceu uma lição básica (e óbvia): é preciso fazer política. Ao menos enquanto há tempo. A recusa ao debate pode abrir caminho para o autoritarismo. Afinal, o filho de um oligarca calou o "Estadão", proibindo noticiar suas negociatas; enquanto um partido ocupou ao seu bel prazer as páginas de "Veja". E tudo com a chancela da "justiça". Deste jeito logo começaremos a achar que o México, sob domínio do PRI, era uma democracia.

E de Merval Pereira no "Globo", sob o título "Quem é quem?":

A capacidade de transferência de votos de Lula era menosprezada pelos tucanos, especialmente pela fragilidade da candidata tirada do bolso do colete, Dilma Rousseff, que era comparada nos bastidores da campanha de Serra ao marechal Lott, pela inabilidade política. Na eleição de 1960, Lott foi lançado candidato pela coligação PTB/PSD que elegera JK e dera sustentação ao seu governo. Juscelino, interessado em voltar ao poder para um segundo mandato em 1965 (não havia reeleição), apoiou Lott, que foi derrotado por Jânio Quadros. Tudo indica que os tempos são outros e, sobretudo, que Lula é mais popular no momento do que Juscelino jamais foi em sua época, e não há nada parecido com Jânio na postura política de Serra. A começar pelo receio que o candidato do PSDB tem de atacar Lula, de ser visto como anti-Lula, coisa que não afetou a campanha de Jânio, que, ao contrário, centrou seus ataques na corrupção, empunhou a vassoura saneadora e teve êxito.

Duas perguntas de William Bonner para Marina Silva, ontem:

A senhora declarou em algumas entrevistas que deixou o governo Lula e deixou o PT porque discordava da maneira como era conduzida a política ambiental. No entanto, se voltarmos no tempo até aquele período do escândalo do mensalão, a senhora não veio a público para fazer uma condenação veemente daquele desvio moral de alguns integrantes do PT. A pergunta que eu lhe faço é a seguinte: o seu silêncio naquela ocasião não pode ser interpretado como uma conivência com aqueles desmandos?

A pergunta era sobre um momento muito especifico da história e eu queria que a senhora não fosse para outro assunto. Eu estou consumindo 30 segundos da entrevista para fazer esse esclarecimento e eu lhe devolverei para a entrevista. Eu só queria que a senhora esclarecesse qual foi e de que maneira a senhora viu a saída de alguns colegas seus de PT, que deixaram indignados na época do mensalão, chorando. Como a senhora viu a ação deles, que não foi a ação que a senhora teve naquela ocasião?

Escrito por Nelson de Sá às 10h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vivo, Claro, Oi e TIM levam 30 canais ao celular

Para as edições, FSP (índice), VE (índice), ESP e BE. Para sites, FSP, VE, ESP e BE.

Escrito por Nelson de Sá às 09h34

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

UPP chega ao Rio Comprido

 

Para as edições, OG e OD. Para os sites, OG e OD.

Escrito por Nelson de Sá às 09h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nos EUA, desaceleração e temor de segunda queda

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CD e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 08h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O maior investidor

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje com links. Na Folha digital, à pág. A13.

Escrito por Nelson de Sá às 08h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Por bater o carro, pai é morto na frente dos filhos

Escalada do "Jornal Nacional":

O presidente Lula assina decreto da ONU que impõe sanções contra o Irã.
A Organização Mundial de Saúde anuncia o fim da pandemia da gripe H1N1.
O emprego na indústria brasileira cresce pelo sexto mês seguido.
Uma pesquisa das Nações Unidas mostra como se sentem os brasileiros em relação à saúde, à educação e ao trabalho.
O Tribunal Superior Eleitoral faz uma campanha em defesa do voto consciente e de eleições limpas.
No estúdio, uma entrevista ao vivo com a candidata do PV à presidência, Marina Silva. 

Do "Jornal da Record":

Violência gratuita e revolta diante de um crime bárbaro. Pai é morto na frente da família porque o carro dele esbarrou no retrovisor de outro veículo.
Polícia pacificadora encontra guerra em morro carioca. Um dos homens do Bope é baleado.
Golpe do emprego. Atraídas pelo salário, jovens bonitas sofriam abuso sexual e ainda pagavam a conta do hotel.
Milícia na floresta. Índios usam cacetetes e algemas para impor toque de recolher.
Consumidora tem pedido recusado em lanchonete e parte para cima da funcionária.
Contrariado, presidente Lula diz que aceita sanções da ONU contra o Irã.
A força econômica da Rocinha. Comunidade carioca tem banco, lojas, shopping e mais de seis mil empresas. 

E do "SBT Brasil":

Um pai de família é assassinado na frente dos cinco filhos depois de bater o carro em outro veículo.
Enquanto a polícia do Rio ocupava um morro, bandidos roubavam o carro de uma emissora de TV.
Quatro assaltos a ônibus por dia na Baixada Fluminense.
A Organização Mundial da Saúde diz que a pandemia de gripe suína acabou.
Está de volta depois de 30 anos o vírus da dengue que pode causar uma epidemia.
Brasília e Goiânia tiveram a tarde mais seca do que no deserto do Saara.
Quase quatro mil candidatos e ninguém passou no concurso para promotor de Justiça na Paraíba.
A mulher condenada porque bateu na funcionária da lanchonete por um pedaço de frango.
Silêncio à mineira. Quase metade dos eleitores do segundo maior colégio eleitoral do Brasil não declara o voto.
A seleção de Mano Menezes estreia contra os Estados Unidos em um estádio bilionário contruído por dois times.

Escrito por Nelson de Sá às 20h42

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Abril reorganiza

Os sites "Meio & Mensagem" e Imprensa destacam que o "Grupo Abril se reorganiza em quatro pilares", Mídia, Distribuição, Gráfica e Educação, para "otimizar a estrutura" e "possibilitar expansão em diversas frentes".

Mídia, sob o comando de Jairo Mendes Leal, "compreende Editora Abril, MTV Brasil, portal MTV, o jornal 'MTV na Rua' e as plataformas de internet". A reorganização "motivou o desligamento de André Mantovani, diretor geral da MTV Brasil", e a extinção da vice-presidência de internet.

Segundo Keila Jimenez, via Blue Bus, a nova MTV prevê a "convergência da programação com outros produtos, como revistas e internet".

Escrito por Nelson de Sá às 12h02

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sayad vs. Danilo Santos de Miranda

Com a chamada "Sayad confirma fim de programas da Cultura", no texto "Conselho dá carta branca a Sayad":

Foram aprovadas as mudanças propostas. Com isso, "Manos e Minas" sai do ar, apesar da argumentação de Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc e membro do Conselho. Danilo defendeu a manutenção dizendo que a função da TV pública é exibir programas de cultura popular, e que dificilmente o hip hop ganharia a grade de outra emissora. Sayad disse que João Marcelo Bôscoli, dono da gravadora Trama, apresentará programa de variedades com foco em música e que as diversas tendências se inscreverão no contexto.

Escrito por Nelson de Sá às 11h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Datafolha e as torcidas organizadas

De Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha, hoje na coluna "Pesquisas não servem às torcidas":

Ao mostrar, em abril, que o tamanho da torcida do Corinthians estava, naquele momento, a apenas quatro pontos da do Flamengo, no limite do empate técnico, o Datafolha foi contestado por centenas de flamenguistas com argumentos frágeis e ameaças de todos os graus. O empate técnico entre Serra e Dilma, apurado há duas semanas, elevou as reações políticas ao mesmo nível de agressividade das arquibancadas. Neste caso, às ameaças e impropérios dos militantes, remunerados ou apaixonados, somam-se falácias técnicas elaboradas por pseudo-especialistas, que, propagadas à exaustão, são tomadas por muitos como verossímeis. Esse processo de coerção não é novo para o Datafolha nem exclusividade dos consultores contratados pelo PT. Nos primeiros dez dias da disputa pelo segundo turno em 2006, enquanto o Datafolha mostrava sozinho que Alckmin poderia ter menos votos do que no primeiro, o PSDB levantou várias suspeitas embasadas em argumentos "técnicos". Não é, portanto, a primeira vez que o Datafolha destoa de seus concorrentes. Isso não quer dizer que esteja certo ou errado. É prudente, no entanto, que seus fundamentos metodológicos, colocados à prova há 26 anos, sejam levados em conta. Cabe aos analistas independentes a missão de reconhecer o viés partidário das afirmações propagadas. Quem frequenta estádios e quem produz pesquisas sabe que torcidas organizadas, por vezes, viram as costas para a partida e mergulham em seus próprios cânticos, perdendo a razão e o próprio jogo.

Escrito por Nelson de Sá às 10h40

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Spin doctors" e as perguntas da Globo

De Reinaldo Azevedo, no site da "Veja":

O "JN" deu início à série com os presidenciáveis. Vocês sabem que a principal diferença entre "nós" e "eles" é o compromisso com a verdade. Dilma foi bem? Foi, sim -o que não quer dizer que não tenha dito algumas barbaridades. Mas os petistas têm motivos para comemorar. As perguntas colaboraram para seu bom desempenho? Em parte, sim, o que não quer dizer que tenha sido esse o propósito de William Bonner e Fátima Bernardes. Analiso resultado, não intenções. O jornalista lembrou que ela nunca disputou eleição e foi escolhida de modo arbitrário por Lula. Estaria ela preparada para governar? As quatro perguntas seguintes disseram respeito a seu temperamento difícil, duro. Lembraram que o presidente chegou a dizer que maltratava ministros. Ora, essas duas questões são, vamos dizer, sombras na candidatura. Com efeito, ela só disputa em razão do dedaço de Lula. E carrega a fama, justificada, de ter um temperamento irascível. As perguntas, embora não tenham aparência simpática, foram muito úteis para Dilma. Na primeira resposta, ficou claro que não tem interesse em se desvencilhar de Lula. Nas quatro seguintes, negou maus-tratos, mas alimentou a fama da "mulher enérgica", como a mãe ocupada em fazer com que tudo dê certo. Em suma, a fama de "durona" não é ruim para ela. Já escrevi sobre como os brutos podem ser confundidos com os sérios e competentes. E eu acho que Dilma está naquele grupo de pessoas competentes em criar a fama de que são competentes… De todo modo, ela se saiu, televisivamente falando, muito bem.

E de Paulo Henrique Amorim, da Record, no site Conversa Afiada:

William Bonner estreou as pseudo-sabatinas do "JN" com Dilma. A primeira pergunta dá o tom do preconceito elitista do PiG. Tentar desqualificar Dilma do ponto de vista intelectual e político faz parte da ideologia pigo-tucana de supor que os trabalhistas são despreparados e Serra e FHC uma combinação de Albert Einstein com Winston Churchill. Bonner tentou também vestir Dilma com a marca do "temperamento difícil". Trata-se de uma observação que se baseia em elementos factuais indiscutíveis. O que é "difícil" e onde ela demonstrou que tem um temperamento difícil? O que diria Bonner do temperamento dócil, suave, simpático e leal do candidato da PiGlobo, José Serra. Aliás, prevalece a dúvida, quem terá sido o Espírito Santo de orelha das perguntas do casal 20: Serra ou Ali Kamel? Observe-se a generosidade conjugal de Fátima Bernardes, que salvou o marido quando Dilma lhe disse: "Você deveria me perguntar onde que o PT acertou". Bonner perdeu o prumo. Quem mandou não ter bagagem para entrevistar a futura presidente do Brasil? Aí, Fátima entregou a bandeja à Dilma e perguntou sobre saneamento básico e Dilma falou do Pavão-Pavãozinho, Alemão e Rocinha e calou a boca desses pálidos representantes de um PiG moribundo. Quem mandou não chamar a Regina Duarte para a bancada? Quem mandou não chamar a Miriam Leitão? Quem mandou não chamar o Jabor? Para enfrentar a Dilma, a Globo tem analistas isentos e equilibrados de outro calibre. Este ordinário blogueiro aguarda ansioso as perguntas do casal 20 ao Serra.

O blog de Patrícia Kogut informa que, "durante a entrevista com Dilma, das 20h40 às 20h53, o telejornal marcou 33 pontos".

Escrito por Nelson de Sá às 10h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agência vs. Petrobras

Para as edições, FSP (índice), VE (índice), ESP e BE. Para sites, FSP, VE, ESP e BE.

Escrito por Nelson de Sá às 09h42

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Bom desempenho, apesar de gafe sobre o Rio"

 

Para as edições, OG e OD. Para os sites, OG e OD.

Escrito por Nelson de Sá às 09h36

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Google contra a neutralidade e a privacidade

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CD e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h26

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

À África

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje com links. Na Folha digital, à pág. A12.

Escrito por Nelson de Sá às 09h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Corre-corre no shopping, no 11º assalto a joalheria

Escalada do "Jornal Nacional":

O "Fantástico" denuncia e a polícia faz apreensão em câmaras municipais gaúchas. A investigação é de uso de dinheiro público em viagens de lazer.
Menor envolvido no desaparecimento de Elisa Samudio é condenado a pena de até três anos como medida socioeducativa.
Os peritos afirmam: o motorista que matou Rafael Mascarenhas dirigia a 100 quilômetros por hora.
Chega ao Fluminense o meio-campo Deco, da seleção portuguesa.
Veja também:
As apostas de Mano Menezes na partida de estreia na seleção.
Entrevista ao vivo com a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. 

Do "Jornal da Record":

As primeiras imagens de mais um assalto à joalheria em um shopping de São Paulo. Este foi o 11º e desta vez houve tiroteio e pânico nos corredores. Dois seguranças foram baleados.
Intolerância. Adolescente esbarra em uma mulher dentro de um ônibus lotado, passageiro se irrita e, pelo telefone, encomenda a morte do jovem.
Terror na estrada. Quadrilha invade ônibus, agride e assalta passageiros.
Caso Bruno. Goleiro quer fazer DNA para saber se filho de Elisa é dele. Menor que participou do crime é condenado à internação.
Onda de calor mata 700 pessoas por dia na Rússia e incêndios assustam Portugal.
Na China, a busca por sobreviventes no meio da lama. Deslizamento matou mais de 300 pessoas.
Na série especial, nossos repórteres revelam como é viver em uma das maiores comunidades do mundo. A nova geração do morro que é um retrato do Brasil.  

E do "SBT Brasil":

Bandidos planejaram dentro da cadeia o assassinato de juízes e promotores de Alagoas.
Um rapaz de 16 anos é morto a tiros porque esbarrou em uma passageira no ônibus.
Corre-corre em um shopping de São Paulo durante assalto a duas joalherias.
Confirmado no Pará o primeiro caso de sarampo em dez anos.
O Brasil é o país em que as empresas mais contratam por indicação dos amigos.
O governo do Afeganistão acusa o Taleban de chicotear e matar uma grávida.
Copacabana encolheu. A praia mais famosa do Brasil perdeu 40 metros em menos de 20 anos.
A seleção brasileira se prepara para o primeiro jogo sob o comando de Mano Menezes.
Um inglês é o primeiro homem a percorrer a pé toda a margem do rio Amazonas.

Escrito por Nelson de Sá às 21h06

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Deixando a China, voltando ao Reino Unido

O "Financial Times" noticia que a News Corp. de Rupert Murdoch decidiu vender o controle de três canais na China, para uma companhia chinesa, reduzindo sua presença no país "após anos de dificuldades".

No mesmo movimento, Murdoch fez uma oferta para comprar a British Sky Broadcasting, serviço britânico de satélite.

O "New York Times" publica longo perfil da britânica "The Economist", a "bíblia dos assuntos globais". Mas também "símbolo de status" construído em 25 anos de "publicidade esperta para o leitor que busca status".

Sua circulação cresceu dez vezes nas últimas três décadas nos EUA, mas tem caído "ultimamente". Nada que preocupe, segundo o editor John Micklethwait, para quem "a relevância e o sucesso de longo prazo só têm ficado mais fortes, num mundo cada vez mais global".

Escrito por Nelson de Sá às 12h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Concorrência

Chegou ontem às bancas de São Paulo o "Marca Campeão", novo título da Ejesa/Ongoing, informa o Blue Bus. Com 32 páginas coloridas, em formato berliner, é voltado ao futebol paulista e concorre com o "Lance".

E a Record lança a rádio Record News até o fim do ano, informa o Radar. Em quase todas as capitais, vai concorrer com CBN e Band News.

Escrito por Nelson de Sá às 10h54

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sem debate

A Band, que festeja sua tradição em debate, cancela o debate que realizaria com os candidatos a vice de Minas. Do Painel:

Quem lamentou foi a campanha de Hélio Costa, do PMDB, mais do que interessada em expor o ex-ministro Patrus Ananias, do PT, num confronto direto com o desconhecido Alberto Pinto, do PP, companheiro de chapa do governador Antonio Anastasia, do PSDB.

Escrito por Nelson de Sá às 10h04

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sobe o consumo de bens importados

Para as edições, FSP (índice), VE (índice), ESP e BE. Para sites, FSP, VE, ESP e BE.

Escrito por Nelson de Sá às 09h40

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Governistas arrecadam mais

 

Para as edições, OG e OD. Para os sites, OG e OD.

Escrito por Nelson de Sá às 09h30

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

EUA armam Arábia Saudita

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CD e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 09h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Falar bem. E os limites de Dilma diante das câmeras

  

 

Para as edições, Carta, Época e IstoÉ. Para os sites, Veja, Carta, Época e IstoÉ.

Escrito por Nelson de Sá às 09h10

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Santos-Chávez

Leia a coluna "Toda Mídia" de hoje com links. Na Folha digital, à pág. A13.

Escrito por Nelson de Sá às 08h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nelson de Sá Nelson de Sá é articulista da Folha de S.Paulo.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.