Nelson de Sá

Toda Mídia

 

O golpe do cartão vs. O destino da munição da PM-SP

Escalada do "Jornal Nacional":

O bê-a-bá de um crime. Nossos repórteres gravam o telefonema de um bandido que tentava aplicar o golpe do cartão telefônico. É ele quem conta como consegue fazer vítimas de dentro da cadeia.
Chega ao fim o suspense sobre Michael Jackson. Setenta e um dias depois da morte, corpo do cantor é enterrado na Califórnia.
Candidatos a vagas em mais de 40 universidades concentram atenções às provas do Enem.
Cientistas britânicos usam células-tronco para recuperar ossos.
Na véspera da partida pelas eliminatórias da Copa, provocações argentinas e o clima de descontração no último treino da seleção brasileira.
A equipe Renault é convocada para depor sobre o acidente suspeito de Nelsinho Piquet.
O "Jornal Nacional" presta homenagem a um veterano da Globo Brasília.  

E do "Jornal da Record":

Mais um feriadão. Veja as saídas das principais capitais para o fim de semana prolongado.
Lembra da mulher presa com duas mil balas de fuzil? A munição era da Polícia Militar de São Paulo e foi vendida por um sargento. O destino final era uma facção criminosa do Rio de Janeiro.
PM carioca usa escavadeira "transformer" contra o tráfico.
Afeganistão critica aliados pelo ataque aéreo que matou quase cem pessoas.
Uma cerimônia discreta, só para 200 convidados. Enterro de Michael Jackson termina com jantar de luxo.
Título de cidade mais feliz do mundo aumenta otimismo do Rio para sediar as Olimpíadas.
Na reportagem especial, Juninho Paulista e Veloso. Fora do campo, eles agora conciliam futebol com as alegrias da vida noturna.

A coluna e o blog voltam na terça-feira.

Escrito por Nelson de Sá às 22h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A imagem da guerra

Da própria AP:

A agência Associated Press está distribuindo a foto de um fuzileiro naval ferido fatalmente em batalha, optando após um período de reflexão por tornar pública uma imagem que transmite a crueldade da guerra e o sacrífico dos jovens homens e mulheres que a lutam.

A foto mostra Joshua Bernard, 21, mutilado após ser atingido por uma granada do Taleban, em 14 de agosto no Afeganistão. Ele morreu no hospital e foi enterrado no dia 24. A foto é de Julie Jacobson.

O secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, enviou mensagem à agência solicitando que "reconsidere a sua decisão":

Eu não consigo imaginar a dor e o sofrimento que a morte de Bernard causou à sua família. A falta de compaixão e senso comum [da AP] em optar por levar esta imagem de seu filho mutilado e em sofrimento à capa de múltiplos jornais americanos é aterradora. A questão aqui não é de direito legal, mas de juízo e decência.

Alguns sites americanos já postam a imagem, como aqui.

PS - Início da noite e o "New York Times" posta e discute, no blog Lens.

Escrito por Nelson de Sá às 11h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ninguém mexe com Silvio Berlusconi

O "New York Times" relata como o primeiro-ministro italiano derrubou o editor-chefe do jornal da conferência dos bispos, "Avvenire", Dino Boffo. O jornalista vinha evitando tratar da vida pessoal do político, mas os leitores cobraram e ele escreveu, em agosto, que sua "arrogante falta de sobriedade" causou "angústia na Igreja Católica".

Um jornal ligado a Berlusconi, "Il Giornale", reagiu publicando que o jornalista é "um homossexual conhecido dos serviços secretos italianos". Ontem, Boffo pediu demissão. Do "NYT":

A lição: ninguém mexe com Silvio Berlusconi, nem mesmo a Igreja.

E do próprio Boffo, ao anunciar sua demissão:

Minha vida, a vida de minha família e de minha redação foram violadas num ato de sacrilégio inimaginável. [Vem aí] uma longa tempestade, uma guerra entre grupos editoriais e poderes fossilizados. Se ele faz isso com jornalistas independentes, qual será o futuro para a informação livre e responsável?

Escrito por Nelson de Sá às 10h49

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Da TV por assinatura para a TV por internet

O "Valor" publica longa reportagem sobre os programas de televisão que passam a ser exibidos na internet, no Brasil, e "opõem sites e TVs por assinatura". Exemplifica com o caso em que a produtora Sony veiculou, em seu próprio site, conteúdo ainda inédito na TV por assinatura. As operadoras reagiram, "negociaram" e a Sony tirou do ar.

Com o avanço da banda larga, a TV por internet cresceu, sobretudo nos portais, e agora começam a ser vendidos televisores com acesso direto à rede. Por enquanto, a disputa está nas séries, retrata o jornal:

Até pouco tempo atrás, não era incomum ver pessoas correndo para casa assistir à sua série favorita. Isso ainda pode ser verdade no último capítulo da novela das oito, mas cada vez mais espectadores recorrem à internet. É uma conveniência para o público, mas tornou-se uma das discussões mais quentes do setor. No centro desse jogo de múltiplos meios de acesso, cujas regras ainda estão sendo formuladas no mercado, está a divisão da receita publicitária.

Semana passada, a Telefônica, do Terra e da operadora de TV por assinatura TVA, chegou a fazer oferta pelos direitos de transmissão dos Jogos de 2016, contra Globo e Record.

E vice-versa - O portal iG vai estrear na OiTV, TV por assinatura do mesmo grupo, com o "TV iG", reunindo conteúdo de seus programas on-line "Canja", "Arena News" e "Top Ten", de música, games etc.

Hollywood por internet - Nos EUA, o YouTube negocia com estúdios para entrar no crescente mercado de aluguel de filmes on-line, em que já concorrem Apple (iTunes), Microsoft (via Xbox), Sony (via PlayStation 3), Amazon, Blockbuster e o Hulu, que é dos estúdios Disney, Universal e Fox.

Escrito por Nelson de Sá às 10h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Diva"

A jornalista Sarah Lacy, do blog TechCrunch, postou desabafo por não ter obtido visto a tempo. "Minha viagem ao Brasil está cancelada. Culpem seu governo." Ela queria conhecer "start-ups" brasileiras.

O Gawker logo fez piada, com foto e o título "Diva em ataque ridículo" ou, no trocadilho, veste figurino ridículo.

 

 

 

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Marcelo Crivella, Sônia Hernandes & Dilma

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

G20 já organiza o fim do estímulo anticrise

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CDFT. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h12

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O humor é o futuro do horário nobre

 

Para as edições, "Time" e "Economist".

Escrito por Nelson de Sá às 08h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cresce o comércio

Escalada do "Jornal da Record":

Portabilidade de celular completa um ano e ainda deixa muita gente na mão.
Pai, filho e álcool em gel no carro. O pai acendeu um cigarro e o veículo explodiu.
A guerra do tráfico na fronteira americana. Gangue invade clínica para viciados e fuzila 17 pessoas.
Cenas do trânsito em São Paulo. A missão impossível dos bombeiros, a morte do motoqueiro e a irresponsabilidade do motorista.
Projeto de lei quer diminuir o número de alunos em sala de aula.
Italiano beija filha pequena na boca e é preso no Ceará.
A disputa para a sede das Olimpíadas. Espanhóis criticam relatório do COI e prometem reagir contra o favoritismo do Rio de Janeiro.
Na reportagem especial, Paulo Sérgio, Oscar e Leandro. De tanto viver em hotéis, eles agora são empresários do ramo.  

E do "Jornal da Band":

Movimento do comércio tem o maior crescimento do ano. Lojas descobrem vantagens de oferecer desconto ao consumidor.
Baixa atividade em assentamentos é argumento do Ministério da Agricultura contra desapropriação de terra contra reforma agrária.
Exclusivo. Policial militar é preso em São Paulo por desviar munição da PM para criminosos do Rio de Janeiro.
Tiroteio entre traficantes e policiais fecha escolas e deixa mais de duas mil crianças sem aulas na favela da Rocinha.
Quadrilha usa menores de idade para roubar carros em estacionamento de Brasília.
Bandidos invadem clínica para dependentes de drogas no México e matam 18 pacientes.
Dois meses depois da morte, Michael Jackson será enterrado hoje sem a presença dos fãs.
Dunga define time para enfrentar Argentina. Luisão entra na zaga e Elano no meio campo.
Frente fria vira o tempo em São Paulo e temporais causam alagamento.
Vem aí a inspeção veicular obrigatória em todo o país. Ela vai começar pelas áreas metropolitanas.

Não foi possível reproduzir a escalada do "JN.

Escrito por Nelson de Sá às 21h47

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O jornalismo daqui a cinco ou dez anos

Do editor-chefe do "New York Times", Bill Keller, na nova edição do "New York Review of Books":

Meu trabalho não exige saber o futuro, mas suspeito que a paisagem jornalística em cinco ou dez anos será uma mistura de sobreviventes e "start-ups". E que a distinção entre mídia "mainstream" e nova mídia vai diminuir nas duas direções. As organizações tradicionais _inclusive o "NYT", mas muitos mais_ continuarão a evoluir. Vamos sobreviver no impresso até quando os lucros justificarem (e, graças aos crescentes lucros com circulação, eles ainda justificam) mas vamos crescer, adaptar e prosperar em todas as plataformas.

Por outro lado, espero que iniciativas como ProPublica e GlobalPost, que dependem de filantropia e/ou do sacrifício de jornalistas dispostos a salários na linha da pobreza, achem modelos de negócio mais sustentáveis. Espero que as melhores entre as novas iniciativas façam alianças para garantir os serviços importantes e custosos que empresas como o "NYT" fornecem, como locais de trabalho seguros em países em guerra ou advogados para processos de liberação de informação e de defesa contra pessoas poderosas. Instituições jornalísticas se tornarão mais ágeis, e novas iniciativas se tornarão mais institucionalizadas. É o meu palpite, pelo menos.

Não quer dizer que eu aceite a web como uma bênção sem problemas. Me preocupa que a polarização e a glorificação da polêmica na web leve leitores a se sentirem informados sem jamais encontrar informação que contradiga seus preconceitos ou que os leve a pensar por si mesmos. Não penso que o jornalismo imparcial é necessariamente jornalismo neutro. É possível acreditar em todas aquelas coisas e celebrar as riquezas do jornalismo na web.

Escrito por Nelson de Sá às 11h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ofensivo, em vídeo

O surgimento da versão em vídeo do anúncio comparando o 11/9 ao tsunami abriu nova rodada de ataques à DM9. Apesar das desculpas, diz o Ad Age, prossegue "a crise do tamanho de um tsunami na DDB Brasil". "Horrível, repugnante, o vídeo!", ironiza o Gawker.

A agência nega ter produzido o comercial. O Blue Bus sublinha que os créditos remetem à Tribbo Post, produtora de efeitos digitais.

Escrito por Nelson de Sá às 10h25

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ofensivo

Saiu anteontem no Ad Age, no Gawker, em blog do "New York Times" e chegou ao Blue Bus, à noite. A organização WWF "condena veementemente o anúncio ofensivo e de mau gosto" criado pela DM9DDB. Com imagem de aviões cercando Manhattan, ele diz que o tsunami "matou cem vezes mais que o 11/9".

A agência foi parar no quadro "Piores Pessoas do Mundo" de Keith Olbermann, MSBC, com o nome de todos os "criativos" (abaixo, a partir de 2min30s). Ontem, via Blue Bus, divulgou nota dizendo que "este anúncio nunca deveria ter sido feito e não retrata a filosofia desta agência".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 10h02

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais ambientalismo, mais nacionalismo

  

 

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h44

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Obama recomeça, na reforma da saúde

 

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CDFT. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h26

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Violência em São Paulo, mas em Belém também

Escalada do "Jornal Nacional":

Madrugada de violência na maior favela de São Paulo. Protestos contra a morte de uma jovem transformam Heliópolis em praça de guerra.
Vandalismo nas ruas de Belém. Em defesa da greve, operários da construção civil enfrentam colegas e policiais.
Banco Central põe freio na queda dos juros.
As propostas de regras para explorar o petróleo do pré-sal motivam protestos.
Comissões do Senado aprovam restrições rígidas ao uso da internet nas eleições de 2010.
A seleção brasileira de basquete se classifica para o mundial.
Nós vamos conversar com uma repórter que é prata da casa na Globo.  

E do "Jornal da Record":

Uma bomba sobre quatro rodas. Veículo era movido a gás.
Golpe em família. Número de falsos sequestros impressiona a polícia.
Assalto triplo no Rio Grande do Sul. Policiais caçam na mata os ladrões de banco. Armas pesadas levam terror a cidades pequenas.
Heliópolis tenta voltar a rotina nas ruas ocupadas.
A número 1 em lucro. Petrobras é a empresa produtiva mais rentável das três Américas.
Governadores do Nordeste entram na briga pelo dinheiro do pré-sal.
Terremoto atinge a principal ilha da Indonésia.
Madonna desmaia no palco.
Comitê olímpico elogia segurança do Rio, mas critica transportes e hotéis.
Anvisa quer proibir o bronzeamento artificial.
Na série "a vida sem bola”, Paulo Nunes e Mauro Silva. Eles agora vivem em canteiros de obras.

Escrito por Nelson de Sá às 23h29

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Facebook, Twitter e as notícias

Em sua série sobre os "desafios da mídia", o "Financial Times" ressalta que a "ascensão da mídia social" faz com que "amigos, não editores, formem os hábitos na internet".

Em resposta, organizações de mídia já "promovem ativamente seu conteúdo", por exemplo, postando automaticamente "em redes como Facebook e Twitter e sites de troca como Digg". Comenta Jennifer Preston, editora de mídia social do "New York Times", que tem 460 mil fãs no Facebook e 1,7 milhão de seguidores no Twitter:

Precisamos estar onde as pessoas conversam sobre o nosso conteúdo e consomem o nosso conteúdo. É antiquado pensar que seus leitores virão até você e vão consumir todo o seu conteúdo.

O "FT" diz que o Facebook já é a maior fonte de links para Huffington Post e Perez Hilton. E questiona a influência das redes sociais, priorizando perfis esportivos ou dicas de saúde "em vez de notícias internacionais". Para encerrar, alerta que nem Facebook nem Twitter encontraram mecanismos que os viabilizem financeiramente.

Outra reportagem da série revela que as redes sociais americanas são fracasso na China, o que indicaria dificuldade na adaptação.

Seguindo o que aconteceu com o Google, que não ameaça o chinês Baidu, o Facebook perdeu para o Kaixin e o Twitter para o Fanfou. "E não se pode argumentar que o sucesso dos sites locais é efeito de proteção do Estado", diz o "FT", citando que a rodada recente de censura, por exemplo, bloqueou tanto o Fanfou como o Twitter.

Yu Yi, especialista em mídia social do Analysys, de Pequim, avalia que o problema está no uso que os "netizens" fazem de tais sites, "principalmente para games e conteúdo noticioso", enquanto em outros países "o foco é a construção de relações sociais".

Escrito por Nelson de Sá às 11h52

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na mídia como no mundo, o pior já passou

A reação econômica é global, da China aos EUA, e também para a publicidade na mídia "o pior já passou", noticia o "New York Times". Mas, entre "executivos de propaganda e analistas, há pouca concordância sobre a força e o momento da recuperação".

Por outro lado, para alguns as mídias tradicionais não retomam o patamar publicitário perdido na recessão. Para outros, a mudança estrutural causada pela web já ocorreu e não afeta mais a distribuição publicitária.

Mais importante, cresce a avaliação de que a publicidade não vai mais sustentar sozinha a mídia. A divisão no setor agora é de outro gênero, entre os que dependem de publicidade _e sofrem na crise_ e os que dependem mais de outras fontes, como assinaturas _e já deixam a crise.

Daí por que, segundo o "Financial Times", a TV aberta está apertando o botão "reset". Até a NBC "agora se identifica como uma empresa cabocêntrica", voltada principalmente à TV paga. Também a britânica ITV. E daí por que, segundo o "NYT", os jornais americanos falam em erguer "pay-walls" nos sites de notícias.

Escrito por Nelson de Sá às 10h56

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Amarras eleitorais

A Folha noticia que a reforma eleitoral a ser aprovada ainda hoje no Senado "amarra o governo". A partir de 3 de abril, Dilma não pode "mostrar na TV as obras do PAC, do Minha Casa, Minha Vida" e o pré-sal. "Mas o mesmo" vale para Serra e Aécio. Fernando Rodrigues comenta:

O aspecto mais nocivo são as limitações ao uso da internet. Num misto de ignorância e má-fé, decidiram equiparar a web à TV. Portais, sites e blogs não poderão fazer entrevistas e debates com os principais candidatos. Mesmo sendo empresas privadas, e não concessões públicas, todos terão de ser convidados. Os gênios por trás do monstrengo são Eduardo Azeredo (PSDB) e Marco Maciel (DEM). Mas Aloizio Mercadante (PT) também esteve na reunião.

Escrito por Nelson de Sá às 09h13

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

2010, a novela

Causa espécie na blogosfera a entrevista de Audrey Furlaneto com o autor da próxima novela das oito, publicada no domingo.

Ele anuncia "capítulos quase quentes", inclusive "adendos no dia da gravação". A personagem de uma comentarista de economia poderá até entrar ao vivo, "se acontecer alguma coisa grave".

E ele fala em vincular notícias do "Jornal Nacional" à novela. "É evidente que eu aproveitaria, é tão fácil meter um ator no estúdio e fazer um comentário", diz, citando a crise no Senado.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tropa de Choque volta à favela de Heliópolis

 

 

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Recuperação global se acelera, até nos EUA

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CDFT. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h41

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na manchete, a Guarda Civil de São Caetano

Escalada do "Jornal Nacional":

Perseguição policial. Tiros dentro de uma favela. E a morte de uma estudante provoca revolta e mais violência em São Paulo.
Vice-presidente Alencar recomeça sessões de quimioterapia.
Casamentos entre pessoas do mesmo sexo vão aparecer no próximo censo do IBGE.
Jaqueline, do vôlei de praia, entra para um time internacional super exclusivo.
Morre o ministro do Supremo Carlos Alberto Direito.
O governo propõe criar quase 58 mil cargos públicos no ano que vem.
Na noite em que o "Jornal Nacional" completa 40 anos, uma repórter pioneira conversa com a gente no estúdio.  

E do "Jornal da Band":

Supermercados e shoppings vão abrir 123 mil vagas temporárias de trabalho para o Natal. Inscrição de candidatos já começou.
Protesto contra morte de estudante de 17 anos na maior favela de São Paulo. Moradores acusam guarda civil de ter confundido vítima com bandido.
Falso agente da FIFA promete vaga em clube de futebol a menores carentes e é indiciado no Rio de Janeiro.
Bandidos fazem arrastão em prédio na zona sul carioca e ameaçam até bebê de colo.
Na lanterna do Brasileirão, Fluminense demite Renato Gaúcho. Cuca será o quinto técnico do time este ano.
Brasil treina para enfrentar Argentina. E Pelé entra no clima das eliminatórias.
Mesmo em parques, nas grandes cidades fazer exercício ao ar livre pode trazer riscos à saúde por causa da poluição.

Escrito por Nelson de Sá às 21h21

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Obama não é o Messias

Barack Obama está em baixa não só em pesquisas de popularidade, mas entre os colunistas liberais. É o que confirma reportagem de Howard Kurtz, colunista de mídia do "Washington Post". Cita os exemplos de Paul Krugman, do "New York Times", Clarence Page, do "Chicago Tribune", Eugene Robinson, do "WP".

E ouve Frank Rich, também do "NYT" e referência maior do liberalismo radical na imprensa americana. Rich vê "uma espécie de impaciência" com Obama, com a interrupção de alguns de seus planos, mas aponta sobretudo um julgamento apressado pelo "ciclo de notícias de 24 horas":

O grande erro na campanha foi ver nele um acadêmico professoral, que não se mostraria à altura da disputa, mas ele se mostrou. É muito cedo para questionar se é forte o bastante. Ele tem que ser, pois venceu a campanha... É claro que não é o Messias.

O conservador David Brooks, também do "NYT", ironiza hoje a reação de "alguns liberais" e alerta Obama a seguir pelo centro político.

Blog da Casa Branca - Tiago Dória também não gostou de ver o Blog do Planalto fechado para comentários, mas registrou, contra a corrente, que a "principal referência" era mesmo o blog da Casa Branca, também de "conteúdo oficial... e falta de espaço para comentários". O blog daqui até avança, mostrando os links a seus posts (trackbacks).

Mais TV Brasil - Avança também a estatal federal. Helena Chagas "twita" que a TV Brasil, que inaugura torre este mês no espigão da Paulista, desde ontem tem seu telejornal nacional, "Repórter Brasil", retransmitido pela Rede Minas, no lugar do "Jornal da Cultura", da estatal paulista.

Escrito por Nelson de Sá às 11h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Independence Day"

O pré-sal foi a notícia de Brasil com maior eco pelo mundo, ontem. A "Forbes", que dias antes destacava a apreensão das companhias americanas ou do "Big Oil", postou que enfim o "Brasil revela os controles sobre as descobertas de petróleo".

O "Wall Street Journal" noticiou a "mudança na política" e, em análise imediata, questionou o "Independence Day" de Lula, dizendo que pode afastar as estrangeiras. Observou porém que o "Big Oil" está acostumado a regras assim, pelo mundo. Também o "New York Times" sublinhou que "a gigante brasileira é beneficiada em prejuízo das rivais estrangeiras, em virada nacionalista". Também MarketWatch, Bloomberg etc.

Noutra direção, o "Guardian" ressaltou que Lula "busca erradicar pobreza com os bilhões do petróleo".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h53

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Petrobras cresce e assusta "mercado"

  

  

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h42

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

China vai vacinar em massa contra gripe suína

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CDFT. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h17

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Saem as regras ou as propostas para o pré-sal

Escalada do "Jornal Nacional":

Anunciadas as propostas do governo para exploração do petróleo abaixo da camada de sal. E a decisão sobre o dinheiro destinado aos Estados produtores ficará para depois.
O Brasil vence a guerra contra os Estados Unidos na Organização Mundial do Comércio.
Incêndios fora de controle avançam em direção a casas da Califórnia. Vitória da oposição na eleição japonesa preocupa brasileiros.
Depois de encontro com colegas sul-americanos, presidente da Colômbia anuncia que está com gripe suína. 
A polícia encontra mais de 30 crianças e adolescentes em uma clínica no Rio, todos atraídos pelo sonho de se tornar jogador de futebol.
Na semana que o "Jornal Nacional" completa 40 anos, vamos receber os repórteres que estão conosco há mais tempo.  

E do "Jornal da Record":

Homem em carro de luxo atropela e mata sapateiro. Ele é acusado de estar bêbado e dirigir em alta velocidade.
Saem as regras para explorar o petróleo do pré-sal.
Terror no paraíso. Fogo mata dois bombeiros e causa pânico na Califórnia.
Terror na noite. Adolescente se finge de morta e escapa da fúria do ex-namorado.
Governo do Japão sofre derrota histórica nas eleições gerais.
Lembraram até dele. Ator Macaulay Culkin pode ser o pai do terceiro filho de Michael Jackson.
Na reportagem especial, onde andam os craques do passado? Série começa com o maior jogador de todos os tempos.

Escrito por Nelson de Sá às 22h31

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ambos os mundos

Perguntas e respostas no diálogo de Sérgio Dávila com Chris Anderson, editor da "Wired" e autor de "Free - O Futuro dos Preços", que saiu este mês no Brasil pela editora Elsevier:

O sr. diz ter problemas com a palavra "jornalismo". Por quê?

Eu sei o que "jornalismo profissional" significa. Mas como chamar quando é produzido por amadores? A maior parte do que leio está on-line e não vem desses canais. Está no Facebook, MySpace, Twitter, em blogs. Leio sobre amigos, família, hobbies. O que é isso? Não acho que "jornalismo" descreve o que está acontecendo.

Ao mesmo tempo, uma visita a sua conta no Twitter revela que o sr. segue "New York Times", "New Yorker" e várias outras contas da chamada mídia tradicional. Além disso, seu trabalho principal vem de editar uma revista de papel, a "Wired". Como o sr. concilia isso?

Nós vivemos num mundo de hipermídia, onde não temos mais o monopólio sobre a atenção do leitor. Acho que há um papel para a mídia tradicional, mas há também um papel crescente para todo o resto. Nós vivemos em ambos. Você não vive em ambos os mundos?

Escrito por Nelson de Sá às 11h52

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Semana da pátria

Depois de idas e vindas que acompanharam o debate sobre o pré-sal, estreou o Blog do Planalto, sem comentários e com vídeo de Lula dizendo que as novas reservas são uma "segunda independência". O blog já foi derrubado pelos acessos e o que ecoa nesta manhã, nos portais e sites de jornais, é uma versão da mesma frase de efeito, no programa Café com o Presidente. Na manchete do UOL, "Marco do pré-sal é nova independência, diz Lula". Do Terra, "Marco do pré-sal é novo Dia da Independência, diz Lula". Folha Online, "Regras do pré-sal são nova Independência, afirma Lula".

O blog caiu, mas o vídeo segue no ar, fechado para comentários:

Via Twitter, comentários ao #blogdoplanalto.

Escrito por Nelson de Sá às 11h02

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

América Latina e a intolerância

Sob o título "Jornalistas latino-americanos enfrentam nova oposição", o correspondente do "New York Times", Alexei Barrionuevo, escreve hoje que a liminar contra o jornal "O Estado de S. Paulo", proibindo a publicação de reportagens sobre o filho de José Sarney, "sublinha preocupações através da América Latina de que muitos juízes continuam a ceder aos caprichos dos poderosos na censura de jornalistas".

Cita Venezuela, Colômbia e Argentina, entre outros cujos "líderes estão reagindo com muita intolerância às críticas da mídia". E registra, do editor-chefe Ricardo Gandour, que a decisão foi "inconstitucional" e o "Estado" entrou com recurso _e mantém as investigações em andamento.

Grátis, não - Em série sobre o "desafio da mídia", o "Financial Times" publica longa reportagem sobre as vítimas da semana, caso do "thelondonpaper", e ressalta que já se trata de "sacrifícios feitos na busca de um novo modelo". No caso, o jornal grátis de Rupert Murdoch em Londres fechou para deixar clara a opção pelo conteúdo pago.

Revolução tabloide - Na série, o "FT" foi até Contagem, Minas, para a reportagem "Tabloides brasileiros mostram que ainda há vida no impresso". Concentra a atenção no "Super Notícia", "vanguarda da revolução do tabloide do Brasil", que credita à "nova classe média", às promoções e ao preço. "Todo mundo tem 25 centavos", diz um leitor.

Escrito por Nelson de Sá às 10h24

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O próximo

O "Wall Street Journal" destacou na semana passada que Steve Jobs, de volta à Apple, desenvolve "tablet" para reunir celular e laptop -com vistas também a livros e jornais, como o Kindle. Imagens já se espalham por blogs como o Gizmodo, citando protótipos na China.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pela festa do pré-sal, Lula cede a Cabral e Serra

  

  

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A nova era no Japão (longe dos EUA?)

 

Para as edições, NYT, WSJ, CD e FT. Para os sites, NYT, WSJ, CDFT. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sem-terras e "seus crimes" (e o submarino nuclear)

 

Para as edições e capas, Veja, CartaCapitalÉpocaIstoÉ.

Escrito por Nelson de Sá às 09h14

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nelson de Sá Nelson de Sá é articulista da Folha de S.Paulo.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.