Nelson de Sá

Toda Mídia

 

Flagrantes de acidentes (e Edir Macedo)

Escalada do "Jornal Nacional":

Promessa de providência. O "Jornal Nacional" denuncia e a Anatel anuncia fiscalização rigorosa contra a venda de linha de celular pré-pago sem cadastro.
Flagrante de dois acidentes. O avião que bateu em um helicóptero em Nova York. A torre que esmagou um carro no Paraná.
A ciência para a saúde. Identificadas substâncias capazes de atacar especificamente células-tronco cancerosas.
R$ 10 milhões em dinheiro. Nossos repórteres contam o que aconteceu com a fortuna apreendida com um auxiliar de Edir Macedo quatro anos atrás.
A oposição pede acareação entre a ministra Dilma Rousseff e a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira.
O IBGE divulga a estimativa da população das nossas cidades.  

E do "Jornal da Record":

Rápido, barato e eficiente. Pesquisadores de Pernambuco criam um novo teste da gripe suína.
Filmar o pagamento do resgate foi fácil, difícil foi prender a quadrilha de sequestradores formada por policiais militares.
O IBGE calcula: já somos 191 milhões de brasileiros.
Acidentes. Um dia depois do protesto, engavetamento para rodovia da morte em Minas. Flagrante mostra choque de helicóptero e avião em Nova York.
Na reportagem especial, as guerreiras. O voo leve das primeiras paraquedistas das Forças Armadas.

A coluna e o blog voltam na segunda-feira.

Escrito por Nelson de Sá às 23h27

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A mentira "mainstream" e os anunciantes

A controvérsia começou há uma semana, com Sarah Palin postando no Facebook que a reforma na saúde proposta por Obama quer instalar "painéis da morte para que os burocratas decidam, baseados no nível de produtividade para a sociedade, quem merece cuidado médico".

O colunista de mídia do "Washington Post", Howard Kurtz, escreveu que "há um limite em que a mídia precisa dizer que o político está errado". "Invenção completa", ecoou Paul Krugman.

Mas não adianta. Pela voz de líderes conservadores e por Fox News e outros, a histeria se espalhou pelos debates sobre a reforma, com violência e gente aparecendo armada -como ironiza Jon Stewart abaixo, em novo vídeo de crítica à mídia.

A manchete do "NYT" de hoje informa que o "falso rumor" não veio de e-mail anônimo ou coisa do gênero. Tem "origem bem mais mainstream", institucional. Cita a revista "American Spectator", em coluna de George Neumayr, e a Bloomberg, em post de Betsy McCaughey.

O jornal destaca que os anunciantes começam a se afastar da cobertura ofensiva, caso de Glenn Beck, que chamou Obama de "racista". Seu programa na Fox News perdeu anunciantes como Procter & Gamble, num princípio de reação ao jornalismo "polarizante e controverso", lá.

The Daily Show With Jon StewartMon - Thurs 11p / 10c
PR
www.thedailyshow.com
Daily Show
Full Episodes
Political HumorSpinal Tap Performance

Escrito por Nelson de Sá às 11h49

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dilma e o PAC, Serra e a Sabesp

Da Folha, em "Lula destrava gastos com publicidade e alivia PAC":

O governo poderá aumentar as despesas com publicidade, diárias e locomoção no próximo ano. Isso será possível porque o presidente vetou o artigo da Lei de Diretrizes Orçamentárias que limitava as despesas ao mesmo valor gasto neste ano. E para que não faltem recursos para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento, principal projeto de investimentos para 2010, ano eleitoral, o governo vetou outros dois artigos na LDO.

E do "Valor", sob o título "Serra visita Alagoas":

O governador de São Paulo desembarca em Alagoas para ampliar a participação da Sabesp nos locais em que tem seus principais aliados. Desta vez com a Companhia de Saneamento de Alagoas, único Estado do Nordeste a ter um governador do PSDB, Téo Vilela, na qual a autarquia paulista investirá R$ 20 milhões. Por meio da Sabesp, já assinou acordos com: Companhia de Água e Esgotos da Paraíba, quando o Estado era governado por Cássio Cunha Lima (PSDB), afastado do cargo pela Justiça; Companhia Riograndense de Saneamento, da governadora Yeda Crusius (PSDB); Companhia Catarinense de Águas e Saneamento, cujo governador Luiz Henrique integra a ala do PMDB que faz oposição a Lula. Com a Mato Grosso Companhia de Saneamento da Capital, de Cuiabá, cujo prefeito é do PSDB, o acordo está para ser fechado.

Escrito por Nelson de Sá às 10h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Confecom sem as empresas

Na Folha de hoje, "Empresas de mídia se desligam de organização de evento do governo", sobre a Confecom:

As principais entidades representativas das empresas de mídia anunciaram seu desligamento da organização da 1ª Conferência Nacional de Comunicação. Agora, o encontro será composto majoritariamente pelo governo e por organizações de trabalhadores e ONGs. As entidades das empresas consideraram que poderiam ficar em minoria e sem poder para derrotar teses que consideraram restritivas à liberdade de expressão e de livre associação empresarial. Um dos temas centrais é o chamado "controle público dos meios de comunicação". A ideia tem na sua origem a defesa de algum organismo que regule a mídia. A TV Globo liderou o movimento pela saída. As TVs seriam um dos alvos dos movimentos sociais, com críticas a tamanho e abrangência de emissoras.

Escrito por Nelson de Sá às 10h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O fim do monopólio na medição de audiência, lá

Na manchete do "Financial Times", o "desafio ao Nielsen", o Ibope americano, pela "união de forças entre os maiores nomes da mídia e os anunciantes", que buscam "dados melhores". Do Blue Bus:

Empresas jornalísticas e de entretenimento (NBC Universal, Time Warner, News Corp., Viacom, CBS, Discovery e Walt Disney), alguns dos maiores anunciantes dos EUA (P&G, AT&T e Unilever) e ainda agências se uniram em um consórcio para concorrer com o Nielsen, que domina a medição de audiência no mercado americano. A expectativa é estar operando em setembro. Segundo noticia do "FT", a preocupação principal das empresas que formam o grupo é medir a audiência através das várias plataformas de mídia.

Escrito por Nelson de Sá às 10h01

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Edir Macedo, Silvio Santos & Dilma

Em destaque no "Jornal Nacional" de ontem, para além dos ataques diários a Edir Macedo, "mais um depoimento contradiz a ministra Dilma sobre encontro com a ex-secretária da Receita".

Ontem também, mas viral em blogs e "tweets" de jornalistas de Brasília, o "noticiário bizarro" de que "Dilma quer Silvio como vice".

Eles surgiram juntos na home page do SBT, na festa de aniversário.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h45

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

BB pressiona privados, BB conquista América etc.

 

 

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h35

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Europa se recupera, EUA ficam para trás

Para as edições, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Para os sites, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ásia se recupera em "V", América aposta

 

Para as edições, "Time" e "Economist".

Escrito por Nelson de Sá às 09h09

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Globo vs. Record 2 (e a chapinha fatal)

Escalada do "Jornal Nacional":

Lei 10.703, de 18 de julho de 2003. Operadora tem que cadastrar compradores de linhas de celular pré-pago, mas os bandidos aproveitam o descumprimento da lei e cidadãos continuam reféns de golpes que ficam impunes.
Caridade em benefício próprio. Promotores dizem que Edir Macedo desviou doações de fiéis da Universal para a compra de imóveis.
Mais um depoimento contradiz a ministra Dilma sobre o encontro com a ex-secretária da Receita Federal. A oposição quer conferir imagens da câmera do Planalto para saber quem diz a verdade.
Morre nos Estados Unidos Les Paul, um pioneiro da guitarra elétrica.  

E do "Jornal da Record":

A fila do transplante no Brasil. Empresário paga US$ 100 mil e recebe um fígado na Colômbia.
Gestante passa por diversos hospitais e morre com suspeita de gripe suína.
Moradores fazem mais um protesto na rodovia da morte de Minas.
Chapinha fatal. Garota é eletrocutada quando tentava alisar o cabelo.
Carro em fuga bate em outro, derruba poste e pega fogo.
Urso deixa floresta e mergulha em piscina.
Os ataques contra a Rede Record. Concorrência usa denúncias antigas e câmera escondida para filmar cultos públicos. Nossos repórteres mostram a reação de fiéis e parlamentares e revelam o uso de dinheiro público em rede de televisão.
Na reportagem especial, ansiedade, alegria e tristeza. Um dia na vida dos candidatos a guerreiros do Brasil.

Escrito por Nelson de Sá às 21h12

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Macedo vs. Marinho

O Radar informa que, durante "a guerra dos telejornais", ontem, a audiência do "Jornal Nacional" foi de 35 pontos, contra 10 do "Jornal da Record". E que ela prossegue hoje, "em princípio".

No canal da Record no YouTube, a resposta à Globo:

Escrito por Nelson de Sá às 11h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Audiência em decadência

Outro Canal informa que "a Globo é contra a mudança no calendário de futebol proposta pelo presidente Lula à CBF, que sincronizaria o Campeonato Brasileiro com os torneios europeus", como fez a Argentina. "A Globo não deu Ok", afirma diretor da Globo Esportes, "empresa que compra direitos". Dizendo que "tudo no Brasil para do Natal ao Carnaval", ironiza que a mudança seria possível "se mudássemos as estações".

A Globo Esportes teme "o mesmo efeito dos pontos corridos: a queda de audiência". Mas ela não se restringe ao Campeonato Brasileiro, informa o blog de Cosme Rímoli no UOL:

No domingo acabou a certeza de que bastaria a camisa branca e preta no gramado. Só Corinthians não é garantia de grande audiência. Sem Ronaldo, o desinteresse atingiu níveis impensados. Ainda mais contra o Flamengo. Os dois clubes mais populares do Brasil jogando. A média da transmissão foi pífia. Na Globo, 19 pontos. Na Band, 5,8. Um vexame. O São Paulo já havia dado assustadores 17 pontos contra o Vitória. E ontem, a Seleção Brasileira. Com Kaká, Júlio César. O amistoso contra a Estônia empacou em 17,1 pontos, na Globo... TV a cabo, computador, frio, calor, Sol, cinema, teatro, crochê. As desculpas se acumulam. Mas a verdade é que as TVs abertas com o futebol perdem cada vez mais telespectadores. O pior é que os patrocinadores estão atentos à decadência.

Por outro lado, o "Valor" informa que o governo argentino anuncia hoje "um pacote de ajuda aos clubes de futebol, em profunda crise, por meio da compra dos direitos de transmissão pela TV". A CBF argentina, Afa, rompeu contrato com a empresa que detinha os direitos, parte do grupo Clarín. E o governo ofereceu o dobro do que era pago.

Escrito por Nelson de Sá às 11h19

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cultura em greve

A Folha informa que "os radialistas decidiram ontem manter a greve" na TV Cultura, que por sua vez "decidiu acionar a Justiça para que os funcionários garantam o funcionamento da emissora, sob pena de a greve ser considerada ilegal". Segundo o presidente da fundação, Paulo Markun, "a suspensão da programação poderia justificar demissão".

O blog de Luis Nassif, que foi comentarista da estadual TV Cultura e hoje está na federal TV Brasil, postou sobre a greve que a emissora "tem mudado seu enfoque na gestão Markun", que "descontinuou vários programas" e "passou a investir em projetos online como o Conexão Cultura", cujo "responsável é a empresa de Pedro Markun, filho de Paulo".

Escrito por Nelson de Sá às 11h02

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No ar

De Clóvis Rossi, em "Os coronéis estão no ar":

Um dia de 1986, aportei em Fortaleza, para acompanhar as eleições estaduais. A sensação da temporada chamava-se Tasso Jereissati, jovem empresário, dito "moderno", que entrara na política para enfrentar os coronéis, essa praga "imexível" da política tapuia (e não apenas no Nordeste). Pedi para acompanhar um comício no interior. Prometeram-me uma carona. Na manhã seguinte, um carro de reportagem apareceu à porta do hotel. Era da principal organização jornalística do Ceará, hegemônica no papel, no rádio e na TV. Perguntei à repórter: "Vocês são do jornal ou da campanha?" A moça não titubeou: "Dos dois"... Nada mudou de 1986 para cá, como dá prova a concessão de uma rádio à família de Renan Calheiros no interior de Alagoas. Para o eleitorado da família, a fonte de informação é a rádio da família, o que se repete em incontáveis casos de outros "coronéis", do Amapá ao Rio Grande do Sul. O que significa dizer que os problemas do Senado, da Câmara, da política não se esgotam naqueles prédios de Brasília. Estão no ar, em todo o país.

E de Janio de Freitas, em "Pelo lucro":

Enquanto se avoluma nova fase de denúncias contra a Igreja Universal do "bispo" Macedo -o que, na televisão e suas adjacências, se deve à subida da TV Record- a Net e a Sky impingem a seus assinantes, sem pedido nem a consulta prevista no Código de Defesa do Consumidor, mais e mais "pastores" e "igrejas". Na hora do alto lucro, com o aluguel de longos horários, o conflito é esquecido. Um dos "pastores" impingidos vende passagens aéreas em meio às orações e "milagres com a visita de Jesus Cristo". É um modo, afinal, de fazer o céu entrar de fato nos negócios da fé.

Escrito por Nelson de Sá às 10h37

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um colunista brasileiro na China

O jornal "China Daily" passou a publicar, em princípio mensalmente, colunas de Marcos Fava Neves, professor da Esalq, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Ontem, ele escreveu, sob o título "A crise, os Brics, as empresas", que os "emergentes já mudaram o mundo".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h57

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Banco do Brasil empresta mais e vence Itaú

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na OMC, Hollywood vence a China

Para as edições, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Para os sites, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h33

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Investigação de Macedo, interesses de Marinho

Escalada de manchetes do "Jornal Nacional":

Panes quentes no Senado. Depois de arquivar denúncias contra o presidente da casa, José Sarney, o presidente do Conselho de Ética faz o mesmo com o senador Arthur Virgílio.
Senadores convidam para depor a ex-funcionária que acusa a ministra Dilma de ter pedido para apressar as investigações da Receita contra Sarney.
O Ministério Público quer ajuda internacional na investigação contra Edir Macedo e mais nove pessoas por lavagem de dinheiro. Promotores afirmam que o dinheiro das doações dos fiéis da Universal era usado em empresas de comunicação.
Veja também a volta de Ronaldo depois da cirurgia. O retorno de Romário ao futebol. A vitória da seleção brasileira na Estônia.
A largada da produção de vacina brasileira contra a nova gripe.  

E do "Jornal da Record":

Uma quantidade de dinheiro difícil até de imaginar, R$ 8 milhões. Em notas falsas.
Passagem cara, pouco ônibus e, para completar, greve. A população se revolta.
Já está no Brasil a matéria-prima para a vacina contra a gripe A.
Juro ao consumidor cai aos níveis de antes da crise mundial.
No meio da guerra, cenas de paz. Crianças palestinas chegam a Israel para ver o mar.
Na reportagem especial, a dura lição dos soldados brasileiros no Haiti, impor a ordem em um país sem leis.
As acusações contra a Igreja Universal. Nossos repórteres em busca de respostas. Os interesses que podem estar por trás da notícia.

Escrito por Nelson de Sá às 21h39

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Morte por audiência?

A notícia de Brasil com maior repercussão ontem, em despacho de três correspondentes da AP, foi a denúncia de que uma emissora de TV teria encomendado "ao menos cinco" homicídios para dar o "furo". No enunciado por toda parte, "Morte por audiência? Polícia brasileira suspeita de âncora de televisão". Abaixo, reportagem da britânica ITN:

Escrito por Nelson de Sá às 11h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

ABRA$$O

Acabou A Nova Corja, blog independente que fez história na internet brasileira. Mas Rodrigo Alvares foi embora atirando:

O timing para o último post do A Nova Corja não poderia ser melhor. A farsa do desgoverno Yeda Crusius está escancarada... Espero que o A Nova Corja permaneça como registro da demência que assola a política gaúcha e brasileira. As eleições do ano que vem serão as mais importantes desde 1989 e boa parte da bandalha praticada por eles ultimamente está nos arquivos do blog. ABRA$$O.

Ex-integrante, Marcelo Träsel explicou:

Rodrigo Alvares decidiu encerrar o blog... O motivo é o desânimo causado pelos processos de Políbio Braga, Felipe Vieira e Banrisul. Não que metessem medo. O problema é que custam dinheiro e tomam muito tempo. Todos os membros atuais e antigos da Corja têm empregos e famílias. O jornalismo era como uma prestação de serviços à sociedade. Quando os poderosos foram perturbados e resolveram se aproveitar do Judiciário para tentar calar a Corja, a sociedade mostrou-se incapaz de ajudar. O tempo livre dedicado ao jornalismo passou a ser dedicado a defender-se da litigância de má-fé... Algumas lições importantes. Percebe-se que o bom jornalismo ainda faz diferença. [Mas] esse caso mostra os limites do webjornalismo cidadão. Repórteres funcionários podem contar com o setor jurídico para defendê-los e seguir com a rotina produtiva. Repórteres amadores são alvos fáceis para a intimidação jurídica.

Escrito por Nelson de Sá às 11h33

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cultura fora do ar

A Folha registra que a estatal paulista TV Cultura está em greve desde segunda-feira e, "com só dois funcionários na operação, a programação saiu do ar durante a madrugada". Ontem à noite, o programa "Metropolis" também não foi exibido.

Os funcionários reivindicam o reajuste dos radialistas. O governo estadual, em sua proposta, quer que sejam "submetidos à política das empresas públicas, não mais radialistas. Eles recusam".

Escrito por Nelson de Sá às 10h29

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dos EUA, mais do mesmo

Mark Weisbrot, diretor do Center for Economic and Policy Research, de Washington, escreve no "New York Times" de hoje o artigo "Mais do mesmo na América Latina". Diz que "havia grandes esperanças na região quando Obama foi eleito, mas elas foram frustradas: o presidente manteve a política de Bush e em alguns casos piorou".

O exemplo maior do "fracasso de Obama no hemisfério é a derrubada militar" de Manuel Zelaya, em Honduras, que Casa Branca e Departamento de Estado receberam de modo "conflitante", enquanto lobistas ligados a Bill Clinton defendiam o golpe em Washington.

Cita as bases na Colômbia e a 4ª Frota, para avisar que a reação é "leve", pela torcida por Obama, "mas ele causa danos sérios às relações dos EUA com a América Latina e às perspectivas de democracia".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h56

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

PSDB fecha acordo que preserva Sarney

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h45

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Obama encara histeria com reforma na saúde

Para as edições, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Para os sites, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 09h26

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Edir Macedo na manchete da Globo

Escalada do "Jornal Nacional":

A Justiça abre processo criminal contra Edir Macedo. Ele é denunciado pelo Ministério Público por comandar uma quadrilha que desvia dinheiro da Igreja Universal para comprar empresas. Entre elas, emissoras de rádio e TV.
Ministério da Saúde confirma 192 mortes causadas pela nova gripe, mas as autoridades admitem que o número pode ser maior por causa da fila dos exames de comprovação. Surgem iniciativas para afastar grávidas de área onde risco de contágio é maior.
Presos os suspeitos do assassinato de um casal de idosos no Rio de Janeiro.
A ex-funcionária Lina Vieira reafirma que a ministra Dilma pediu que acelerasse as investigações da Receita sobre o senador José Sarney.
Schumacher desiste de substituir Massa na Ferrari.
Internacional recupera a quarta posição no Brasileirão. Botafogo e Coritiba anunciam técnicos novos.
Vôlei brasileiro comemora o aniversário de uma conquista.  

E do "Jornal da Record":

Corregedoria de São Paulo investiga envolvimento de policiais em máfia de caça-níqueis.
Balconista é baleado e criminosos são filmados em São Bernardo do Campo.
Insegurança em Salvador. Policiais militares se recusam a trabalhar nas ruas por falta de condições.
Matéria-prima de vacina contra gripe suína já chegou ao Brasil.
Montanha russa trava e deixa mais de 20 pessoas presas no ar.
Bebê elefante entala no bueiro.
Na reportagem especial, os guardiões do petróleo. Os guerreiros que defendem as plataformas do Brasil.

Escrito por Nelson de Sá às 22h26

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"I'm the boss"

Hillary Clinton na entrevista em que foi questionada sobre o que Bill pensava e respondeu, "meu marido não é secretário de Estado, eu sou":

Como no governo Bill Clinton, o casal fez a festa dos tabloides de Nova York, com "Eu sou o patrão" ou "Eu mando" como a manchete em ambos.

 

 

Escrito por Nelson de Sá às 11h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Silvio & Dilma

A coluna Ooops informa que em julho a Record marcou 5,5 pontos de audiência contra 4,9 do SBT. Em junho eram 5,8 contra 4,7. Em suma, Silvio Santos "cresce e encosta". Por outro lado:

Com quase 100% do elenco e dos executivos presentes num hotel fechado, o SBT festejou seus 28 anos com a virtual candidata do PT à Presidência, Dilma Roussef. Em entrevista a Carlos Nascimento, num brunch, no sábado, ela respondeu a perguntas sobre o rumo do país e crise econômica. Também cumprimentou o elenco, pelo aniversário. Silvio Santos desceu a serra para se encontrar com a ministra.

Escrito por Nelson de Sá às 11h28

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O que (ainda) quer o governo?

O "Valor" deu ontem a manchete "Novo plano põe Telebrás na gestão de banda larga" da União, como "intranet do governo". As panes da Telefônica "evidenciam a urgência", diz, anotando que "a administração direta paga às operadoras R$ 500 milhões por ano". Porém:

A proposta gera polêmica no governo. Hélio Costa é radicalmente contra. Dilma Rousseff tem "muitas dúvidas" sobre a volta da Telebrás e, segundo um interlocutor, sabe que o assunto é politicamente "desgastante". Embora neguem a intenção de disputar mercado com as operadoras, os formuladores do plano veem "objetivos estratégicos" na Telebrás e citam a atuação oligopolista de Oi, Telefônica e Embratel [Telmex] na banda larga, que se tornará tão estratégica quanto a energia elétrica.

Já a nova edição da "Teletime" traz o editorial "Alguém tem que falar" sobre "as políticas de comunicações e telecomunicações":

Falta saber o que pensa o governo. Existe a discussão sobre recriar a Telebrás. Dependendo do gabinete, a notícia é diferente. Uns dizem que é o projeto prioritário do governo, outros que é de alguns, outros que é coisa da Casa Civil, outros que a Casa Civil é contra. O mesmo vale para a rede Eletronet, cuja restituição foi defendida pelo presidente da República, mas ninguém sabe como será utilizada. Essa falta de clareza vem desde que se falou em fusão da Oi com a Brasil Telecom. Lula e Dilma Rousseff eram favoráveis, dizia-se. Mas nenhum abriu a boca. A fusão saiu, o que permite deduzir que havia apoio... Na banda larga, o governo tem projetos importantes aqui e ali. Barganhou o Banda Larga nas Escolas e a universalização do backhaul numa negociação dura, mas não se mexeu para que o Fundo de Universalização das Telecomunicações fosse aplicado para reforçar os programas... Vamos ao PL 29/2007, que regulamenta TV por assinatura. Dizia-se que Lula apoiava. Hélio Costa, por seu turno, nunca gostou. E sem apoio do governo a chance de o projeto andar é mínima. Outro exemplo: a Conferência Nacional de Comunicação, sinalização de que estava disposto a ouvir a sociedade sobre os temas da área, foi anunciada por Lula como projeto de governo. Mas aí o governo tira a verba, como se quisesse matá-la por inanição. Enquanto isso, o jogo de forças entre os atores corre solto. A pergunta é: O que quer o governo? Ou melhor: Será que o governo quer (ainda) alguma coisa do nosso setor?

Escrito por Nelson de Sá às 11h10

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Primeira parada, a internet

Elisa Araújo destaca no Blue Bus a reportagem "mais popular" ao longo de ontem no site do "New York Times":

Empresas que monitoram o tráfego de internet nos EUA indicam que o movimento cai gradativamente entre meia-noite e 6h, costa Leste. Mas então dá um salto e às 7h é "um foguete sendo disparado", segundo a Arbor Networks. O ritmo do acesso é indicação de novos hábitos matinais. Ao acordar, os americanos vão para o computador ou pegam seus "gadgets" antes de tomar café da manhã. E até antes da higiene matinal. "Depois de seis a oito horas de privação da rede -também conhecida como sono- as pessoas estão acordando e se lançando na direção de celulares e laptops, às vezes antes de colocar os pés no chão e seguir para atividades biológicas urgentes."

Escrito por Nelson de Sá às 10h03

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O eleitor perde o controle

De Marcos Nobre, na coluna "Dedos, anéis e Marina", na capa da Folha:

A saída de Collor em 1992 criou uma expectativa de controle direto do sistema político -o eleitorado seria capaz de tirar mandatos. Com o tempo, isso foi trocado pela ação da "opinião pública". O caso Sarney indica que até esse controle via mídia está sumindo.

Escrito por Nelson de Sá às 09h55

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Denúncia de bispos laranjas

De Márcio Aith, no texto da manchete da Folha:

A pedido do Ministério Público de São Paulo, a Justiça abriu ação contra Edir Macedo e outros nove integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus, acusados de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. De acordo com os promotores, um grande volume de recursos oriundos de fiéis saiu do país por meio de contas e empresas de fachada e foi repatriado também por empresas de fachada, para contas de pessoas físicas ligadas à Universal. Os recursos serviram para comprar empresas como emissoras de TV. Segundo os advogados da Universal, as empresas apontadas na denúncia tiveram as contas aprovadas pela Receita. Eles negam que os bispos da Universal operem como laranjas.

Escrito por Nelson de Sá às 09h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

E a China avança

Na manchete on-line de ontem no "Wall Street Journal", sobre América do Sul, nada de Lula, Hugo Chávez ou Barack Obama. Duas das estatais chinesas de petróleo, CNPC e Cnooc, ofereceram US$ 17 bilhões pela YPF, que já foi a Petrobras argentina e hoje é "unidade" da espanhola Repsol. O jornal avalia ser "o maior investimento externo da China" na história.

Em post de análise, o "WSJ" sublinha que o governo chinês vem fechando acordos de fornecimento de energia com Brasil, Rússia "e mais". Mas estranha o negócio pois os poços argentinos seriam "velhos e cansados". Não menciona a proximidade com o pré-sal.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h12

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na Justiça, o dinheiro para comprar TV

  

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No México, o tráfico também comanda da prisão

Para as edições, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Para os sites, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No Senado, indiciado o ex-diretor de RH

Escalada de manchetes do "Jornal Nacional":

Flagrante delito. Nas ruas de Belo Horizonte, o comércio criminoso de cheques que foram roubados.
Barbárie e mistério. A morte de um casal de idosos em casa no Estado do Rio e a execução do quarto policial no ABC paulista esse ano.
Em Curitiba, a Justiça manda os bancos evitarem aglomerações para prevenir a gripe.
Leste da Ásia ainda conta prejuízos dos tufões destruidores.
O presidente do PSDB admite que o Senado pagou uma viagem da filha.
O ex-diretor de recursos humanos do Senado, João Carlos Zoghbi, é indiciado pela Polícia Federal.
A oposição tenta evitar o arquivamento de todas as denúncias contra o senador José Sarney.
Ministra Dilma Rousseff nega acusação de uma ex-funcionária da Receita, a de ter pedido para apressar investigações contra o presidente do Senado.
Seleção brasileira se reúne para amistoso na Estônia.
Torcida de time da quarta divisão vence a de todos os times da primeira.  

E do "Jornal da Record":

Ex-diretor de recursos humanos do Senado é indiciado pela Polícia Federal.
Milhares de consumidores brasileiros zeraram as dívidas em julho.
No Rio, aspirante da polícia dispara arma, se fere e atinge colega acidentalmente. Governo nega falta de segurança nas ruas.
Brasil perde feio no ranking mundial de reciclagem.
Tufão provoca desmoronamento de hotel em Taiwan.
Entra em vigor lei que prevê punições mais rigorosas contra crimes sexuais.
Doença do vice José Alencar faz presidente Lula voltar mais cedo de cúpula.
Na reportagem especial, os militares que garantem nossa soberania na Amazônia.

Escrito por Nelson de Sá às 22h08

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Até os jornais regionais reagem, nos EUA

O "New York Times" informa que o "Seattle Times", único diário na cidade desde o fechamento do "Post-Inteligencer" ou "P-I", viu sua circulação saltar 30% desde março, para 260 mil por dia, e "renasce como ato solo".

O jornal é parcialmente vinculado à rede McClatchy, mas é dos poucos ainda sob controle de uma família, nos EUA. Passou por corte de custos, inclusive redação, hoje com 210 jornalistas, contra 375 há cinco anos.

Curiosamente, registra o "NYT", "o que resta do 'P-I' também vai melhor do que se esperava". O site, com redação reduzida a 20 jornalistas e destacando links para notícias de outras fontes, mantém o tráfego que tinha até o fim da circulação em papel.

Na mesma direção, o "Wall Street Journal" noticia que a pequena rede E.W. Scripps, com jornais no Meio-Oeste, deu lucro.

E a direção da NYT Co. já informa que, com resultados melhores, o "Boston Globe" não será mais vendido às pressas.

Escrito por Nelson de Sá às 11h00

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cidade suja

Do blog de Adonis Alonso, referência em publicidade:

Para quem acreditou cegamente nos propósitos da Lei Cidade Limpa, a Prefeitura de São Paulo liberou a propaganda em abrigos de ônibus e mil relógios de rua. Serão duas licitações para exploração por até 20 anos, com favoritismo para estrangeiras como Cemusa, JC Decaux e Clear Channel. Agora teremos 9.800 pontos, somente 1.300 menos do que havia antes da lei que, em dezembro de 2006, acabou com o setor de outdoor em São Paulo. A diferença é que agora toda a arrecadação será da Prefeitura.

Escrito por Nelson de Sá às 10h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Abaixo o Twitter

Da coluna Mônica Bergamo, na nota "Abaixo o Twitter":

Wagner Moura aproveitou o intervalo de um ensaio com o fotógrafo Bob Wolfenson para mandar o recado. No microblog, um Wagner falso faz comentários espirituosos e até conversa com famosos de verdade, como Sandy. No Facebook, tem 700 amigos, inclusive personalidades da TV.

Escrito por Nelson de Sá às 10h02

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Record vs. Globo, ponto a ponto

O blog de Lauro Jardim na Veja.com informa hoje sobre a "vitória folgada" do programa "A Fazenda", neste domingo na Record, por 22 pontos contra 13 de "No Limite", na Globo.

O blog já havia noticiado que na quinta "os realities se enfrentaram e o resultado foi de um quase empate". A coluna Zapping destacou, sábado, que "A Fazenda preocupa Globo". E o Blue Bus comenta que "Globo e Record estão numa disputa ponto a ponto, não dá mais para disfarçar".

O blog de Luis Nassif no iG questiona a recente e muito divulgada "recuperação da audiência das novelas da Globo":

Ocorreram alguns fatos no período entre a queda e a recuperação. Um deles, particularmente, não foi divulgado nem pelo Ibope nem pela Globo. Houve um avanço significativo no uso de televisão para games. A cada dia, mais aparelhos estão ligados nos joguinhos, em vez da televisão. Com essa revoada para games e internet, caiu o percentual de telespectadores ligados nas emissoras -e, obviamente, o percentual ligado nas novelas da Globo. Foi providenciada uma mudança de critérios, com o Ibope deixando de computar os aparelhos ligados em games. Como pouco se discute a perna central da concentração de verbas publicitárias no país -as medições do Ibope- toda informação será bem vinda.

Escrito por Nelson de Sá às 09h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O suor do "Big Oil"

A revista "Forbes", que escolheu a Exxon "a companhia verde do ano", também destaca esta semana que o "Big Oil" ou as grandes empresas de petróleo "estão suando enquanto o Brasil debate os novos controles". Ouve as reações de Shell e Chevron. Por outro lado, cita analista texano para quem o plano de Lula para o pré-sal, com "parcerias minoritárias" para as estrangeiras, "permite manter os benefícios da concorrência".

Já a Reuters ouve um "consultor" do Rio, ex-diretor da agência de petróleo sob FHC, garantindo que, "com esta situação no Congresso, será difícil aprovar as mudanças antes do fim do mandato de Lula".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h12

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Para além de Sarney, um terço dos senadores

 

Para as edições, Folha, Valor, Estado, Globo, SN e MH. Para os sites, Folha Online, Valor Online, Estadao, Globo Online, Tempo Online (SN) e Dia Online (MH). Também PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Taleban está vencendo os EUA, neste momento

Para as edições, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Para os sites, NYT, WSJ, WP, FT, CD e TOI. Também NewsStand, PressDisplay e Newseum.

Escrito por Nelson de Sá às 08h42

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sarney? Que Sarney?

 

 

Para as edições e capas, Veja, CartaCapitalÉpocaIstoÉ.

Escrito por Nelson de Sá às 08h34

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nelson de Sá Nelson de Sá é articulista da Folha de S.Paulo.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.