Nelson de Sá

Toda Mídia

 

Novo Twitter

http://twitter.com/nelson_de_sa

Escrito por Nelson de Sá às 14h17

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aos navegantes

O blog está migrando para uma nova plataforma e volta a ser atualizado no próximo dia 27, aqui.

Escrito por Nelson de Sá às 10h56

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Anonymous, outro lado

Na edição de hoje do Tec, publico uma análise sobre o Anonymous a partir do livro "Unmasked", do Ars Technica, que questiona o grupo de hackers que "exige transparência, mas não oferece nenhuma".

Faço ainda um relato das ações do Anonymous no Brasil.

Escrito por Nelson de Sá às 09h56

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O boom das startups

Na edição de hoje de Mercado, publico reportagem sobre a febre de novos empreendimentos digitais no Brasil, com crescente apoio de venture capital do Vale do Silício, com exemplos como Elo7, Kekanto e Peixe Urbano.

Também um breve perfil da brasileira Bedy Yang, filha de taiwaneses, que o TechCrunch vê no "coração" do movimento.

E também hoje, na Ilustrada, entrevisto Willam Powers, de "O BlackBerry de Hamlet", que defende um equilíbrio entre vida digital e não digital. Uma transição pacífica para as novas tecnologias. Na íntegra, aqui.

Escrito por Nelson de Sá às 10h38

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O que a greve ameaça

Na edição de hoje de Cotidiano, publico a análise "Ao ameaçar o Carnaval do Rio, greve acordou a cobertura no exterior". E mudou a cobertura na Globo.

Escrito por Nelson de Sá às 13h38

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na Bahia e no Rio, punições aos PMs em greve

Escalada do "Jornal Nacional":

Comando da Polícia Militar da Bahia anuncia punições aos PMs em greve, entre elas a expulsão de quem faltar ao trabalho. Mas a paralisação é mantida. No Rio, movimento grevista anunciado na noite de quinta-feira não provoca transtornos. Na maioria dos batalhões e delegacias da capital, o funcionamento foi normal. Em cinco cidades do interior do Estado houve adesões. Nove chefes do movimento de PMs e bombeiros são presos. Atentado duplo mata dezenas de pessoas na Síria. Argentina exige na ONU a retomada de negociações sobre  a soberania das ilhas Malvinas. A transposição do São Francisco: na última reportagem da série, a adaptação de quem teve a vida mudada pelas obras. Ausência de doadores reduz estoque de sangue nos hemocentros. O técnico Ricardo Gomes surpreende os médicos com sua recuperação. A uma semana do Carnaval, blocos arrastam multidões no Rio e em Florianópolis. 

E do "Jornal da Record":

Policiais entram em greve no Rio e Justiça manda prender líderes do movimento. Na Bahia, a paralisação espanta os turistas. Fronteira sem lei: traficantes mandam drogas para o Brasil em pára-quedas. Reportagem exclusiva: dinheiro que ia ajudar 200 jovens carentes é desviado por ONG. Churrasco e piscina na cadeia: delegado é afastado depois da festança dos presos. A luta contra a TPM: a dieta que acaba com o mau humor. O banco de carro que reconhece o dono pelo bumbum. Primeira-dama dos EUA ataca de dançarina. 

Mais "SBT Brasil" e "Jornal da Band".

Escrito por Nelson de Sá às 21h10

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Google atira para todos os lados

Agora comandado por Larry Page, o Google está desenvolvendo um sistema de entretenimento, com transmissão sem fio de música na residência, que marca sua entrada na produção de hardware. Segundo o "Wall Street Journal", será o primeiro a ser vendido com a própria marca Google, em "grande mudança de estratégia". O alvo é a Apple.

O Google também prepara sua primeira loja física, na sede europeia em Dublin, para vender "produtos Google", noticia a Reuters. Os alvos são Apple e Amazon, que também se prepara para abrir loja.

E o Google está perto de lançar um serviço de armazenamento em cloud, acrescenta o "WSJ". Chamado Drive, tem como alvo o DropBox.

Escrito por Nelson de Sá às 10h43

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

China & Brasil

O "China Daily" noticia que as exportações chinesas caíram 0,5% em janeiro, em relação ao ano anterior, "o primeiro declínio em dois anos". A queda nas vendas para a União Europeia, maior parceiro comercial, foi de 7,1%. Para os EUA, segundo parceiro, 3,9%. Já as exportações para o Brasil cresceram 5,7%. Para a Rússia, mais ainda, 26,8%.

Também no "CD", as exportações da montadora Chery cresceram 25,1%. "Para se expandir no exterior", diz o jornal estatal, "a empresa abriu fábrica na Venezuela em agosto e espera iniciar operação de outra fábrica, no momento em construção no Brasil, em setembro de 2013".

O "CD" informa que o vice-primeiro-ministro Wang Qishan viajou para se encontrar com o vice-presidente Michel Temer, na segunda reunião do Comitê de Cooperação e Coordenação de Alto Nível China-Brasil.

No "Financial Times", o diretor do Bric Lab da Universidade de Columbia, Marcos Troyjo, aponta que a priorização de "conteúdo local" hoje, em países como o Brasil, tem "claras diferenças com a velha escola do protecionismo", preferindo estimular investimento externo, não barreiras tarifárias. Diz que EUA e Europa não devem pensar que as "críticas crescentes" do Brasil à China sejam reflexo da visão que ambos têm da política cambial:

O Brasil tem suas próprias preocupações quanto à forma como a China contribui para a "desindustrialização" de sua economia. E tem sido capaz de evitar parcialmente essa desindustrilização se "reindustrializando" através de sua própria versão do "conteudismo local"... O apetite da China por commodities, em que o Brasil tem vantagens competitivas, se estendeu automaticamente para a cooperação em outras áreas (logística, infraestrutura, aviões e outras). Acrescenta-se a isso a boa vontade mútua vista na movimentação do Brasil para reconhecer a China como economia de mercado (embora ainda não tenha formalizado). Sem dúvida, as indústrias brasileiras, que se preocupam profundamente com uma "enchente" de produtos chineses, gostariam de uma ação do governo na forma de cotas e outras restrições de importação. No entanto, elas são menos críticas da política cambial chinesa e mais ruidosas no questionamento das leis trabalhistas e fiscais, desatualizadas e não competitivas, do Brasil. 

A Reuters registra relatório da Standard & Poor's, comparando o Brasil aos outros Brics, China inclusive, e destacando que seu "perfil de crédito soberano é mais estável", embora "menos dinâmico". Diz a S&P:

As instituições políticas estáveis e maduras do Brasil constituem uma força material de crédito em relação ao grupo. Um sólido compromisso político com políticas macroeconômicas prudentes, contas externas fortes, uma estrutura econômica diversificada e menor dependência de demanda externa para sustentar o crescimento econômico fornecem flexibilidade adicional para resistir aos crescentes riscos de um ambiente global desafiador sem arriscar sua nota de "grau de investimento".

Ao fundo, a "Time" posta reportagem com personagens que trocaram Europa e EUA pelo país, "Por que o seu chefe está se mudando para o Brasil?".

O grupo francês Publicis informa que sua receita com publicidade digital deve superar a receita com publicidade tradicional, este ano nos EUA. Será a primeira gigante do setor a passar pela mudança, antes da britânica WPP e da americana Omnicom. Maurice Lévy, presidente do Publicis, diz ao "FT" que quer alcançar, em "futuro bastante próximo", que 75% do faturamento venham de "mídia digital e mercados emergentes como Brasil e China".

Escrito por Nelson de Sá às 09h57

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A menos de duas semanas do Carnaval

No "New York Times", "Greves policiais no Brasil fazem Carnaval parecer ameaçador". Destaca que a "devastadora" paralisação em Salvador "parece perder força", mas "o governo brasileiro está diante de nova greve no Rio, menos de duas semanas antes de seu mais famoso chamariz internacional: o Carnaval". Ouve, do sociólogo Romeu Karnikowski:

A greve deveria servir de despertador para o país todo. O Brasil tem agora a sexta maior economia do mundo, mas o nosso modelo policial é um fracasso embaraçoso.

Agências e BBC priorizam a convocação de greve também no Rio, que "ameaça Carnaval". Já a AP despacha de Salvador que o "Crime atinge Carnaval em meio a greve" na "terceira maior cidade do país".

Escrito por Nelson de Sá às 09h01

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Grécia aprova cortes, mas Europa quer mais

Edições: NYT/réplica/Nm/móvel, CD/Nm/móvel, WSJ/Nm/móvel e FT/réplica/móvel. Sites: NYT, CD, WSJ e FT.

Escrito por Nelson de Sá às 08h31

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Líder ex-PM é preso. Greve continua

Edições: FSP/réplica/Nm/móvel, VE/móvel, OG réplica/Nm/móvel e ESP réplica/Nm/móvel. Sites: FSP, VEOG e ESP.

Escrito por Nelson de Sá às 08h16

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Trem para no Rio e multidão depreda estações

Escalada do "Jornal Nacional":

O principal chefe da greve da PM baiana se entrega à polícia em Salvador. Marco Prisco é um dos suspeitos de tramar ações de vandalismo em telefonemas gravados com autorização judicial. Os grevistas mantêm a paralisação iniciada há dez dias, mas desocupam prédio da Assembléia Legislativa. Bombeiro do Rio de Janeiro, flagrado nas gravações, é preso ao chegar da Bahia. Trem lotado para no Rio e passageiros enfurecidos protestam em várias estações. Chega à Justiça a discussão sobre o alerta de blitz de trânsito nas redes sociais. Os reflexos das obras de transposição do São Francisco na vida dos moradores. Em testes com ratos, cientistas identificam uma proteína capaz de eliminar sintomas de Alzheimer. Na Grécia, manifestantes protestam contra novo plano de redução de despesas. Na Fórmula 1, Bruno Senna faz o primeiro treino com a Williams.  

E do "Jornal da Record":

Tumulto nos trens do Rio: sistema falha e multidão ocupa trilhos e depreda estações. Greve sem fim: policiais desocupam prédio na Bahia, líderes do movimento são presos e presidente Dilma diz que é contra o perdão aos PMs. Avião vai parar em rio e passageiros escapam nadando. O cadeirante que foi abandonado dentro de um ônibus. Na série especial, os segredos para aliviar a TPM. 

Mais "SBT Brasil" e "Jornal da Band".

Escrito por Nelson de Sá às 21h45

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

iPad 2 fica para trás

O site All Things D, do "Wall Street Journal", informa hoje que a Apple anuncia o iPad 3 na primeira semana de março, em San Francisco.

Escrito por Nelson de Sá às 12h02

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A cidade formal chega às favelas

O "Financial Times" publica longa reportagem do correspondente Joseph Leahy sobre como "a cidade formal está vindo agora para os favelados pela primeira vez", no Rio de Janeiro e por todo o país, em meio à disputa de empresas como as operadoras de telecomunicações pela "emergente nova classe média" _que vive ascensão "graças ao salário mínimo, aos programas de transferência de renda do governo e à crescente economia do Brasil".

Ouve empresas multinacionais que apostam em infraestrutura, automóveis e educação, além de uma "startup" de internet voltada para as favelas cariocas.

O "New York Times" noticia a morte do zagueiro Harry Keough, nascido em St. Louis em 1927 e que "jogou pelo time dos Estados Unidos que venceu a Inglaterra na Copa do Mundo de 1950, no Brasil, no que é considerado por muitos a maior derrota da história".

Escrito por Nelson de Sá às 10h24

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

China quer mais da América Latina, em yuan

O "Wall Street Journal" noticia que o Banco de Desenvolvimento e o Eximbank da China buscam expandir o crédito "para os países ricos em commodities na América Latina usando yuan em vez de dólar". Pequim "espera elevar o perfil de sua moeda no comércio de energia e commodities", com "papel maior" também em investimento, e "foca seus esforços" na região.

O "China Daily" noticia que o embaixador da Argentina disse em Pequim que as investigações antidumping de seu país contra a China "não afetarão o ritmo do comércio". E noticia que as exportações de automóveis chineses bateram recorde em 2011, "com Rússia, Brasil e Irã representando a maior parte do valor das exportações".

E a estatal de petróleo Sinochem anunciou a compra de participação no campo de Cusiana, na Colômbia, da companhia francesa Total, informa o "CD". Segundo a empresa, o negócio visa ampliar sua base na América Latina. No ano passado, a Sinochem comprou 40% do campo de Peregrino, no Brasil, da norueguesa Statoil.

Em análise, o "WSJ" alerta investidores sobre os resultados de 2011 da Petrobras, "a gigante energética sentada sobre a mais importante descoberta de petróleo dos últimos anos", que serão divulgados hoje e podem vir abaixo das projeções.

"Financial Times" e "WSJ" noticiam que a Statoil divulgou resultados para o quarto trimestre de 2011 e o primeiro aponta o salto dos custos no período, creditado pela empresa ao início de "projetos muito fortes" no Brasil, no campo de Peregrino, em Angola e no Canadá.

"FT" e "WSJ" noticiam as "tensões" entre Reino Unido e Argentina sobre as ilhas Malvinas (na cobertura de ambos, Falklands).

O primeiro destaca que "Buenos Aires baniu navios de cruzarem as águas argentinas para suprir a exploração de petróleo que, diz, está pilhando seus recursos naturais", depois que uma companhia britânica, Rockhopper, "fez uma descoberta comercial de petróleo nas águas [das ilhas] no ano passado". E que Londres, "para a qual as Falklands permanecem uma dependência do Reino Unido, insistem que os três mil habitantes têm direito à autodeterminação e nega os reclamos de soberania da Argentina".

O segundo anota que a guerra das Malvinas faz 30 anos, em 2 de abril.

Escrito por Nelson de Sá às 09h47

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nelson de Sá Nelson de Sá é articulista da Folha de S.Paulo.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.